Iniciativa de UBS em Guarulhos é reconhecida pela ONU e ganha projeção internacional

A horta comunitária da Unidade Básica de Saúde (UBS) Nova Bonsucesso, em Guarulhos, foi eleita uma das melhores Práticas em Promoção da Saúde dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU em 2019. O resultado foi publicado no último dia 2 e a descrição do projeto está disponibilizada no site da organização internacional (https://sustainabledevelopment.un.org/partnership/?p=29796).

A iniciativa nasceu em 2016 a partir do desejo dos profissionais de saúde da UBS de transformar o amplo espaço externo – inutilizado na época e que favorecia o acúmulo de resíduos e vetores indesejados – em local útil e benéfico à população. Foi então que surgiu a ideia de construir nessa área uma horta comunitária, projeto que foi alavancado com a participação dos funcionários da unidade, do Conselho Gestor e da comunidade.

Com o apoio da população foi iniciada a limpeza do terreno e a construção dos canteiros adequados ao plantio. Até hoje são os usuários da UBS que participam de todo o processo de cultivo, da escolha das espécies plantadas até a colheita, bem como da divisão dos alimentos entre os participantes. Contudo, por conta da pandemia do novo coronavírus, os encontros do grupo de aproximadamente 20 pessoas para cuidar da horta tiveram de ser suspensos, mas o projeto não parou: dois voluntários continuam na lida e ainda distribuem as hortaliças, temperos e produtos cultivados aos demais.

O aposentado Jorge Gustavo Militão, de 67 anos, é um desses voluntários que está no cultivo da horta desde o início do projeto. Ele conta que são inúmeros os benefícios da atividade. “Primeiramente a satisfação pessoal, mas também a possibilidade de agregar mais conhecimento, as novas amizades, a integração social”, diz.

Ele, que já tinha o hábito de consumir produtos orgânicos, conta que foi convidado para participar da iniciativa em 2016 pela agente comunitária da UBS, Joelma Mendes, que, durante uma visita domiciliar para prevenção da dengue, ficou encantada com as plantações que Militão tinha em seu quintal. Sem titubear, o aposentado aceitou o convite, aprimorou seus conhecimentos com o aprendizado da técnica da compostagem e hoje ajuda inclusive a cultivar as hortas das UBS Carmela, Álamo e Bambi.

Foi Militão que convidou o professor aposentado David Ferreira Filho, 62 anos, na época recém-chegado da Chapada Diamantina (Bahia), para ajudar na horta.  “Minha vida toda foi mexer com horta. Quando cheguei a São Paulo, em 2014, fui trabalhar no comércio na região do Brás, mas não me adaptei. Não sei o que seria de mim se não tivesse essa atividade. Levanto de manhã já tenho o que fazer, tem um terreno aqui do lado de casa onde também cultivo hortaliças. A horta preencheu o vazio que senti quando cheguei da Bahia, sem contar as amizades e a integração que a gente vai construindo”, fala.

Além disso, o professor aposentado conta que levou consigo para participar do cultivo da horta da UBS Nova Bonsucesso dois netos, uma menina que tinha sete anos na época e um menino de seis anos que sofria com tosse persistente. “Com o trabalho na horta meu neto melhorou muito, mudou o comportamento e isso é muito gratificante em todos os sentidos. O meu maior prêmio foi ver meu neto recuperado. Convivi com tantas pessoas com problemas de saúde, que eram dependentes de remédio, mas a gente via que se sentiam bem no cultivo”, explica.

Promoção da saúde

Como descreveu no projeto que inscreveu no chamamento de boas práticas em desenvolvimento sustentável da ONU, a cirurgiã-dentista Aparecida Sinzato Paulino, coordenadora da horta, explica que a iniciativa conta com o apoio do Programa Municipal Ambienta Saúde e está em consonância com a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares, emergindo como ferramenta educadora de promoção, prevenção e recuperação de saúde.

Além disso, o projeto está aliado à proposta de conscientização e educação ambiental, visando a práticas saudáveis e sustentáveis pautadas nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e da Agenda 2030. “O manejo da horta contribui diretamente para a melhoria da saúde dos usuários, ao passo que estimula a atividade física e a saúde mental, funcionando como uma terapia, bem como a alimentação saudável, além do desenvolvimento sustentável”, relata.

A partir do cultivo da horta, a UBS Nova Bonsucesso passou a gerir seus resíduos orgânicos e a receber material orgânico da comunidade, destinando-os ao processo de compostagem, colaborando com a destinação adequada e a redução do lixo produzido no município. Até o final do ano passado, aproximadamente 35 serviços da rede municipal de saúde desenvolviam hortas comunitárias. Por conta da pandemia, algumas atividades ficaram suspensas, mas os projetos estão sendo retomados.