Iniciativa de Guarulhos conquista o 1º lugar do Prêmio Inova SUS

Da Redação

Em solenidade realizada na noite desta quarta-feira (20), em Brasília (DF), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, premiou as melhores práticas adotadas no Sistema Único de Saúde (SUS) em 2019. Dentre as cinco iniciativas inovadoras selecionadas, o trabalho de Guarulhos “Acolhimento como Ferramenta de Apoio às Tensões Emocionais do Trabalhador da Saúde” conquistou o primeiro lugar do Prêmio Inova SUS na categoria “Saúde Mental do Trabalhador da Saúde”, com nota final de 9,80 o que rendeu ao município um repasse de R$ 250 mil.

O concurso Inova SUS tem por objetivo identificar, reconhecer, valorizar, incentivar e premiar as experiências inovadoras na Gestão do Trabalho em Saúde no âmbito do SUS. Neste ano, 1.200 municípios inscreveram trabalhos para concorrer ao prêmio, nos seguintes temas: Gestão Solidária; Educação e Segurança do Trabalho; Saúde Mental do Trabalhador da Saúde; Gestão Administrativa e Arquitetura Hospitalar, os quais foram analisados por uma banca examinadora composta por professores e pesquisadores de diversas universidades do País.

“O reconhecimento é o primeiro passo. Quero que vocês entendam esse prêmio como um convite para ajudarem a construir a política de saúde que vai estar presente para as próximas gerações. Para que vocês possam dizer um dia que lutaram em um grande combate, que foi a construção do maior desafio da humanidade: construir um sistema de saúde durante o século 21” destacou o ministro da Saúde durante a premiação.

Trabalho de Guarulhos

A criação do Núcleo de Saúde do Trabalhador na Secretaria de Saúde de Guarulhos teve início em 2014, como estratégia de enfrentamento aos elevados níveis de adoecimento dos profissionais da área. Atualmente, o setor tem 480 prontuários abertos e atende cerca de 500 funcionários dos mais de 100 serviços da rede.

No local, os servidores da Saúde em situação de sofrimento mental por problemas relacionados à vida pessoal ou profissional são acolhidos, passam por escuta qualificada e humanizada, e a proposta para o projeto terapêutico  é  pactuada em conjunto com o trabalhador e a equipe. Para tanto, o núcleo conta com duas psicólogas, uma psiquiatra, um médico acupunturista, uma assistente social, duas enfermeiras e uma chefia de seção técnica.

Quando necessário, os trabalhadores são encaminhados para tratamentos complementares em serviços parceiros, tais como o Centro Municipal de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (Cempics), Centros de Atenção Psicossocial, Centros de Especialidades Médicas, Serviço de Engenharia, Segurança e Medicina do Trabalho (Sesmt), e serviço social da Secretaria de Gestão.

Os diversos encaminhamentos realizados totalizaram 663 em 2017 e 863 em 2018, o que representa um aumento de mais de 30% na demanda atendida. “Como resultado foi possível identificar que os acolhimentos contribuíram para a melhoria do estado emocional e físico do trabalhador, sendo que as diversas parcerias nos possibilitaram oferecer tratamento complementar por meio por meio de profissionais qualificados e outras práticas terapêuticas nos casos resistentes ao convencional”, destacaram as autoras do trabalho: Sueli Mores, Antônia Peres e Sílvia Letícia Vieira de Souza.

Fonte: Prefeitura de Guaruho