Infectologista do Emílio Ribas faz palestra sobre sarampo em Guarulhos

Da Redação

Guarulhos recebeu na manhã de hoje o infectologista da Divisão de Imunização do Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo e do Instituto Emílio Ribas, Eder Gati. Ele foi convidado pela Secretaria Municipal de Saúde para ministrar a palestra “Sarampo: manejo clínico, vacinação e orientação aos profissionais de saúde”, evento que reuniu cerca de 200 pessoas, entre médicos e enfermeiros da rede pública e privada do município e também de algumas cidades da região do Alto Tietê, no Teatro Padre Bento, no Gopoúva.

São Paulo, Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba e Salesópolis foram algumas das cidades que enviaram representantes para a palestra do especialista. Como infectologista, Eder Gati levou aos participantes conhecimentos específicos e aprofundados sobre o sarampo, sua transmissão, como o vírus age no organismo, bem como sobre a importância da vacinação, além de abordar o tratamento com vitamina A e as indicações para o uso do medicamento imunoglobulina nos casos de contato com pessoas infectadas.

O infectologista também traçou um panorama da evolução do sarampo no estado de São Paulo, no Brasil e no mundo. Segundo o especialista, o país sofre uma pressão externa, o que favoreceu a reintrodução do vírus no território nacional, uma vez que em 2018 a Europa registrou 84.462 casos, sendo que no primeiro semestre deste ano foram cerca de 90 mil, além da Ucrânia, que teve 84 mil no mesmo período.

Enquanto isso, o Brasil registrou dez casos de sarampo no período de 2001 a 2005, 56 casos em 2006 (no estado da Bahia), nenhum registro entre 2007 e 2009, 114 nos anos de 2010 a 2012, 1.310 entre 2013 a 2015 e aproximadamente 10 mil casos no ano passado, sendo 9.700 no Amazonas. Neste ano, dos 2.753 casos confirmados até o dia 31 de agosto, 98,3% estão concentrados no estado de São Paulo, onde já foram registrados 2.708 infectados.

Já os dados da série histórica com a situação da doença em Guarulhos foram apresentados pela enfermeira Renata Lima, responsável pela Vigilância Epidemiológica Municipal. Ela explicou que desde 2001 o município não tinha registro de sarampo, o que voltou a ocorrer somente neste ano, quando a cidade confirmou 83 casos até o dia 5 de setembro.

Para barrar o avanço da doença no Brasil e no mundo, o infectologista do Instituto Emílio Ribas ressaltou a importância da vacinação. A estratégia é comprovada pelo comparativo das campanhas de vacinação iniciadas em 1992, com o Plano de Eliminação do Sarampo e que resultaram na obtenção do certificado de eliminação do vírus nas Américas em 2016, título que o Brasil acaba de perder por conta do aumento do número de casos.

Fonte: Prefeitura de Guarulhos