Índice de confiança do consumidor sobe pela 2ª vez seguida, diz ACSP

O Índice de Confiança do Consumidor (INC) voltou a crescer em agosto, atingindo 83 pontos. O aumento é o segundo em sequenciam já que o indicador passou de 77 pontos em junho para 79 pontos em julho. Os melhores resultados estão concentrados na classe C e na Região Sudeste do País, apontam dados da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

O levantamento mostra que a classe C é a parcela mais otimista da população. O INC saltou de 85 pontos em julho para 94 pontos no último mês entre essa parcela da população, 11 pontos acima da média total.

A classe D/E apresentou uma recuperação menos expressiva, de 65 para 67. Já a classe A/B se manteve com um índice de 75 pontos nos últimos dois meses. “O início da flexibilização, somada ao pagamento do auxílio emergencial, que deve ser prorrogado, ajuda a explicar os números da classe C”, avalia o economista da ACSP, Ulisses Ruiz de Gamboa.

Em relação ao INC por região, o destaque é o Sudeste, que subiu para 92 pontos em agosto, nove pontos a mais que no mês anterior Sul, Centro-Oeste e Nordeste mostraram uma leve subida na confiança, enquanto o Norte foi a única região do País a apresentar queda, passando de 82 pontos em julho para 78 em agosto.

As perspectivas da economia brasileira para os próximos seis meses também têm viés positivo. O INC dos que acreditam que daqui há seis meses estará “muito melhor + um pouco melhor” saltou de 39 para 48 pontos de julho para agosto, o segundo melhor resultado do ano. Enquanto isso, os mais pessimistas, inseridos entre “muito pior + um pouco pior” registraram uma queda de 20 para 15 pontos no mesmo bimestre.

De acordo Ruiz de Gamboa, o aumento da confiança no futuro próximo deve ter reflexos no consumo, com benefícios ao setor do comércio. “A predisposição do consumidor em comprar pode gerar efeitos positivos para os próximos seis ou sete meses”, aponta o especialista.