Indicadores e ações do Plano Municipal de Cultura são foco de debate na abertura de seminário

A Prefeitura de Guarulhos deu início na noite da última segunda-feira (14) ao ciclo de encontros do Seminário Plano Municipal de Cultura (PMC), iniciativa da Secretaria de Cultura que segue até a próxima sexta-feira (18) com oficinas no período da manhã, bate-papos à tarde e palestras à noite.

Por meio da parceria com o Programa Oficinas Culturais – Formação para o Interior, da Secretaria de Estado Cultura e Economia Criativa do Governo de São Paulo, gerenciado pela Poiesis, a abertura do evento contou com a mesa A Gestão do Plano Municipal de Cultura, trazendo para o debate os palestrantes Ana Paula do Val, Maria Carolina Vasconcelos Oliveira e Ivan Montanari.

O secretário de Cultura de Guarulhos, Vitor Souza, lembrou a oportunidade de detalhar os principais eixos do PMC ao longo dos próximos dias. “Para além do setor cultural, devemos encarar o plano como um instrumento de gestão para a cidade toda e seu impacto no modo de vida de gestores, artistas e cidadãos”.

De acordo com o servidor Darlan Cavalcanti, mediador da mesa, é necessário resgatar o percurso de elaboração do PMC no município. “É uma luta que vem de longa data na cidade, um marco importante e motivo para grande alegria de todos os envolvidos com sua elaboração, que resultou em um documento para nortear a política cultural da cidade”.

Programação de terça-feira

Nesta terça-feira (15), às 11h, Darlan Cavalcanti e Vitor Souza apresentam bate-papo sobre o Eixo I a partir do tema Política Cultural, Gestão e Capacitação. Às 14h, Fábio Perinotto, diretor de Cultura de Jacareí via Fundação Cultural Jacarehy, e Thiago Kling, presidente da Oscip Instituto Cenários Futuros e da Cooperativa dos Produtores Culturais do Estado de São Paulo, apresentam a mesa Modelos de Gestão da Cultura. Às 16h, sob mediação do diretor de Turismo de Guarulhos, Ricardo Balcone, Reginaldo Sena, presidente do Sincomércio – Sindicato Patronal do Comércio Varejista de Guarulhos, apresenta mesa com o tema Investimento em Cultura. Às 19h, Ramon Marambio e Alex Popovic, proponentes com projetos contemplados no Edital Aldir Blanc/Funcultura, participam de mesa sobre a lei de auxílio emergencial ao setor cultural.

Na manhã da próxima quarta-feira (16), às 9h, o evento oferece a oficina Acessibilidade em Projetos Culturais, ministrada por Fábio Bonvenuto, pedagogo, musicoterapeuta e coordenador do Núcleo de Inclusão Musical do Conservatório Municipal de Guarulhos.

A gestão do Plano Municipal de Cultura

Durante a apresentação da mesa A Gestão do Plano Municipal de Cultura, evento que marcou a abertura do Seminário Plano Municipal de Cultura 2020, os palestrantes Ana Paula do Val, Maria Carolina Vasconcelos Oliveira e Ivan Montanari ofereceram aos participantes valioso bate-papo sobre suas experiências e vivências quanto aos desafios para a implementação de planos de cultura em outros contextos.

De acordo com a artista circense Maria Carolina Vasconcelos Oliveira, é essencial considerar que o documento não é uma carta de desejos, mas um plano de ação estratégico, com atividades que possam ser acompanhadas e mensuradas a curto, médio e longo prazo, o que permite acompanhar sua implementação. “O caso de Guarulhos torna-se ainda mais interessante pelo fato de o plano guarulhense surgir em um contexto de diferentes instrumentos de participação social, que pensam a cultura de modo mais orgânico e sistêmico, tanto no contexto das conferências de cultura e dos fóruns quanto da atuação do Conselho Municipal de Política Cultural, permitindo que sua construção aconteça tanto com a participação do poder público quanto da sociedade civil. Essa participação de todos os entes é fundamental para garantir a continuidade das ações, mesmo diante de possíveis mudanças políticas e econômicas”, afirma.

Sobre as parcerias transversais, metodologias de gestão e gerenciamento de relatórios e dados, Ivan Montanari chama a atenção para formas de adesão ao PMC, considerando que ele é tanto uma conquista do poder público quanto da sociedade civil, da classe artística e da cidade como um todo. “Juntos, todos os envolvidos em sua elaboração devem encontrar e construir mecanismos para seu controle e monitoramento. É fundamental conquistar espaço da cultura, mesmo diante de orçamentos apertados, e criar meios de angariar, por meio de ações intersetoriais, recursos para execução das metas do plano, o que torna possível chegar a mais lugares”.

Para saber mais sobre a programação do Seminário Plano Municipal de Cultura acesse https://www.guarulhos.sp.gov.br/article/guarulhos-promove-seminario-virtual-sobre-o-plano-municipal-de-cultura.