Incêndio atinge Museu Nacional do Rio de Janeiro: a maior tragédia museológica do país

Da Redação

Um incêndio atingiu o Museu Nacional do Rio de Janeiro, na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, na zona norte da capital fluminense, no dia 02 de setembro. O prédio histórico de dois séculos foi residência da família real brasileira e tem um dos acervos mais importantes do país – são cerca de 20 milhões de peças.

Passados 100 dias do incêndio, no começo de dezembro a primeira parte das obras emergenciais no prédio histórico chegou a 51%. Segundo o diretor do museu, Alexandre Kelner, já foram recuperadas dos escombros 1.500 peças e conjuntos, mesmo antes da etapa de salvamento ter sido iniciada.

Mais antiga instituição histórica do país, o Museu Nacional do Rio foi fundado por D. João VI, em 1818. É vinculado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com perfil acadêmico e científico. Tem nota elevada por reunir pesquisas raras, como esqueletos de animais pré-históricos e múmias.

Incêndio atinge Museu Nacional do Rio de Janeiro: a maior tragédia museológica do país

Imagem: Tânia Rêgo/Agência Brasil