Hospital Stella Maris anuncia projetos de captação de recursos

Mayara Nascimento

O Hospital Stella Maris (HSM) está com diversas ações de captação de recursos para diminuir a dívida acumulada nos últimos anos, incluindo empréstimos feitos pela gestão passada. Para isso, o HSM está desenvolvendo sistemas de doações, eventos e rifas.

Hoje o hospital tem um custo mensal de R$ 4,5 milhões, porém o faturamento está entre R$ 4,1 milhões e R$ 4,2 milhões. O déficit acumulado dos meses faz o HSM fechar o ano sempre com dívidas. “Há 17 anos não tem reajuste na tabela SUS. O que o governo está fazendo para a população? A nossa dívida é consequência do governo que não arca com a responsabilidade, pois saúde é direito de todo cidadão. Se eles cumprissem com a lei, não teríamos uma saúde tão precária no país”, afirmou Vitória Nazareth de Oliveira, presidente do HSM e uma das irmãs da Congregação das Filhas de Nossa Senhora Stella Maris.

Na presidência do HSM desde 2015, Nazareth vem promovendo uma série de mudanças na unidade visando o equilíbrio das contas. Somente entre os anos de 2017 e 2018, houve uma redução de R$ 7 milhões no déficit total do hospital.

Dentre as propostas, está a inauguração, até novembro, de um projeto de incentivo de doação. Diversos totens serão instalados nas dependências do hospital, além de estar presente em eventos beneficentes. O sistema de doação será simples e intuitivo, e também será possível doar pelo site. “Mantemos nossos balanços financeiros publicados anualmente e a população pode consultar quando necessário”, afirmou o hospital, demostrando transparência com os valores que serão recebidos.

Outra ação que já está em vigor é a consulta popular, no qual o paciente paga um valor reduzido e é atendido sem necessitar de convênio e nem do sistema de saúde pública. Desta forma, além de promover a saúde da população, o hospital consegue gerar mais uma renda e manter os equipamentos em uso. Em breve será inaugurada uma clínica popular fora do completo hospitalar, apenas para atender consultas e exame a preços populares.

Em novembro a instituição também irá realizar um grande evento de arrecadação, um bazar beneficente. Ainda em fase de planejamento, o evento não tem data para acontecer, mas será divulgado nas redes sociais do hospital.

Por ser um hospital filantrópico, a renda do hospital provém de uma tríade: recursos públicos, repassados para o hospital por atender o Sistema Único de Saúde (SUS), convênios e captação de recursos. Cerca de 70% do atendimento é pelo SUS, o que representa apenas 40% do faturamento de todo o hospital devido à defasagem da tabela de valores.

Ações passadas

Neste ano, a Malvina Russo realizou dois eventos de arrecadação. No jantar promovido no meio do ano foi arrecadado R$ 6.440. Na rifa feita em setembro por uma ação entre amigos, foi arrecadado aproximadamente R$ 35 mil. Os valores foram direcionados para o conserto da máquina da hemodinâmica, que estava quebrada. No mês passado, o hospital recebeu R$ 7 mil da Sicredi para trocar o enxoval.