Hospital Pimentas poderá ser administrado por empresa com mais de R$ 3 milhões em protestos de dívidas

Da Redação

Interessado em administrar o Hospital Municipal Pimentas-Bonsucesso, o Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH) possui quase R$ 3 milhões em protestos devido a dívidas adquiridas nos últimos anos.

Segundo a Folha Metropolitana apurou os débitos se referem, em sua maioria, ao não pagamento de empresas fornecedoras de materiais e insumos hospitalares. Há ainda dívidas com empresas de telefonia, de refrigeração, de tecnologia, entre outras, totalizando 368 protestos.

Caso seja vencedor do certame licitatório, ainda em andamento, o INDSH poderá trazer inúmeros prejuízos ao Hospital Pimentas. Isso porque, ele será administrador de um recurso público e poderá começar a sofrer cobranças desses valores a serem penhorados através de sequestros, penhora online, entre outros.

Com isso, os melhores fornecedores podem se negar a prestar serviços ao hospital e, caso haja penhora dos valores, deve dificultar ainda mais a situação já caótica da unidade, incluindo problemas para o pagamento dos funcionários.

Embora não haja previsão no edital de apresentação da certidão de protestos, a prefeitura, por meio dos princípios gerais, pode vedar o ingresso de empresas que tenham muitas dívidas e que possam comprometer o bom andamento do órgão público.

O INDSH ainda é investigado por supostas irregularidades cometidas na compra de equipamentos no estado do Mato Grosso. O instituto também sofreu uma intervenção na cidade de Araucária (PR), por supostamente embolsar verbas sem seguir todas as exigências do plano de trabalho firmado.

Imagem: Sidnei Barros