Homens criam seus filhos sozinhos, mas ainda são minoria

Mayara Nascimento

A responsabilidade da criação dos filhos não é somente das mães. Alguns pais criam seus filhos sozinhos, e apesar de não ter um levantamento completo de quantos homens possuem a guarda total ou compartilhada dos filhos, a Associação de Pais e Mães Separados estima que ainda seja a minoria. A figura masculina presente na vida da criança pode acontecer por vários motivos, sendo ou não por separação dos pais.

Em Guarulhos a taxa de divórcio de 2007 até a atualidade totaliza em 3.901. Até julho de 2018, 207 casais se separaram segundo pesquisa do Cartório Notarial. Os números podem variar, levando em consideração que nem todos os casais tiveram filhos e que as separações com crianças podem não ser oficiais para serem contabilizadas pela pesquisa.

Morar com o pai também pode ser uma escolha da criança. Nícolas Reis, 27, optou pela casa paterna aos 15 anos por querer mais direcionamento e disciplina. “Sempre tive mais afinidade com ele do que com qualquer outra pessoa. Nossa relação é de amor, amizade, respeito e admiração. Meu pai é um modelo a ser seguido”, disse.

Já Thiago Apelbaum esperou a maioridade para tomar a decisão. Seus pais se separaram em 2000 e desde então morava com a mãe na zona oeste de São Paulo. Aos 18 anos voltou para Guarulhos e hoje com 25, afirma que não tem nenhuma grande diferença na criação, apenas na personalidade de cada tutor. “Toda relação boa tem seus altos e baixos, normal entre pais e filhos”, conta.

Imagem: Divulgação