Guti é contrário à proposta de pedágio no trecho de Guarulhos da via Dutra

Assunto: Coletiva com a imprensa Local: Gabinete Data: 09.05.2019 Foto: Fabio Nunes Teixeira

Da Redação

O prefeito Guti afirmou ontem à Folha Metropolitana que é contrário a qualquer tipo de cobrança de pedágio no trecho inicial da rodovia Presidente Dutra, entre São Paulo e Guarulhos. Ele participou de audiência pública promovida pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) na última sexta-feira (17), em São Paulo, que tratou da nova concessão da rodovia.

Durante a audiência, a ANTT apontou que a ideia inicial do governo federal seria autorizar a nova concessionária a implantar a cobrança de pedágio por quilômetros percorridos, de maneira proporcional ao uso, em um modelo chamado de “free flow”, que cobra por meio de antenas instaladas ao longo do percurso e leva em consideração os quilômetros utilizados pelo veículo. Isso valeria nos quilômetros iniciais da via Dutra entre São Paulo e Guarulhos somente na pista expressa, sem qualquer implantação de praça de pedágio na pista marginal, a que é mais utilizada pelos guarulhenses para acesso à cidade e na ligação com a capital. “Mesmo assim, somos contrários a qualquer tipo de cobrança que penalize as pessoas que moram ou trabalham em Guarulhos. Vamos levar à ANTT essa nossa posição, que é irreversível”, disse o prefeito. 

Guti explicou que trabalhará para evitar a implantação da cobrança, mesmo no sistema free flow, mas que – caso a ANTT não ceda aos apelos da população local – lutará para que o pedágio não incida em veículos emplacados em Guarulhos. “Vamos buscar formas legais de impedir que se cobre qualquer valor aos guarulhenses”, esclareceu.

A concessão acontece no segundo semestre deste ano. O contrato atual, hoje administrado pela CCR NovaDutra, vence em março de 2021.  Durante a audiência, Guti defendeu que a nova concessionária, além das obras apresentadas pela ANTT, assuma o compromisso de aumento da vazão de 14 córregos sob a rodovia no trecho de Guarulhos, como forma de minimizar as enchentes na cidade. Hoje esses cursos de água acabam represados pelas pistas da rodovia, já que nunca foram ampliados desde a inauguração da Dutra, nos anos 50. 

A ANTT prevê também no trecho guarulhense da via Dutra a implantação de 31 quilômetros de faixas adicionais, além de 6,5 km de pistas marginais, que vão passar do Trevo de Bonsucesso, além de 23 passarelas e duas novas alças de conexão com a rodovia Hélio Smidt.

Imagem: Fábio Nunes Teixeira/PMG