Guti assina contrato de tratamento de esgoto com Sabesp e anuncia fim do rodízio de água

Mayara Nascimento

A prefeitura, o Governo do Estado de São Paulo e a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) assinaram ontem o contrato para os serviços de coleta e tratamento de esgoto em Guarulhos por 40 anos. Também foi anunciado o fim do rodízio de água, que estava previsto para acabar no aniversário da cidade, no domingo (08). O evento aconteceu no Núcleo Cabuçu do Parque Estadual da Cantareira.

“Isso não é apenas uma conquista do governo, é uma conquista do país. Estamos falando de abastecimento de água e de começar a tratar o esgoto da segunda maior cidade do estado. Tratar o esgoto reflete diretamente na saúde, ter saneamento básico é fundamental”, celebrou o prefeito Guti.

Atualmente a cidade trata 12% do esgoto produzido. Em janeiro de 2017 o número era apenas de 2,1%. Com a ação, Guarulhos ajudará na despoluição do rio Tietê. “Estamos trabalhando empenhados. Em um ano deixaremos a população com 40% de coleta e tratamento de esgoto”, informou o presidente da Sabesp, Benedito Braga.

Ao longo dos 40 anos, a Sabesp deverá investir aproximadamente R$ 2 bilhões no tratamento, o que inclui R$ 1,2 bilhão em obras de infraestrutura exclusivas em Guarulhos, R$ 492 milhões em ampliações de redes e ligações e R$ 250 milhões nas Estações de Tratamento de Esgotos (ETEs). Além das ETEs existentes em Guarulhos (São João, Bonsucesso e Várzea do Palácio), as unidades Parque Novo Mundo e São Miguel, em São Paulo, também tratarão os resíduos do município.

“É muito bom celebrarmos conquistas e ter o reconhecimento desses esforços. Isso é um combustível para os outros desafios. Celebramos o acerto dessa parceria, e sabemos que temos um longo caminho pela frente. Daqui a um ano celebraremos quase três vezes mais de tratamento de esgoto”, comentou o vice-governador, Rodrigo Garcia.

Fim do rodízio

Para universalizar o abastecimento de água na cidade a Sabesp investiu R$ 70 milhões ao longo de 2019. Entre outras benfeitorias, foram implantados 50 km de redes adutoras e construído o reservatório Bonsucesso, com capacidade para 6,3 milhões de litros de água.

“A realidade da cidade está mudando muito. Antes as pessoas tinham que vigiar a água, ver se ia encher a caixa d’água de madrugada. O fim do rodízio marca uma grande melhora na qualidade de vida dos guarulhenses”, finalizou Guti.

Imagem: Mayara Nascimento