Guarulhos sofre impacto com greve dos caminhoneiros

O protesto de nível nacional realizado pelos caminhoneiros atingiu ontem seu quarto dia e seus desdobramentos continuam afetando Guarulhos em diversas camadas, como por exemplo, no abastecimento de combustíveis em postos de gasolina, diminuição das frotas de ônibus, consertos de água e esgoto e serviços de tapa-valas.

A Secretaria de Transportes e Trânsito (STT) disse que apenas 60% da frota de ônibus municipal esteve em circulação ontem e que para esta sexta-feira (25) diminuirão para 40%, o que equivale à demanda realizada aos domingos. Ao todo, 356 veículos deixaram de circular na cidade, afetando 235 mil passageiros.

Já o Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) divulgou que os diversos trabalhos realizados pela empresa, tais como consertos de vazamentos de água e abastecimentos através de caminhões-pipa, estão comprometidos não só pela falta de combustível, mas pelo bloqueio nas vias que impedem a locomoção dos veículos. Outro serviço que foi prejudicado com a falta de óleo diesel foi o de coleta de lixo, cujo serviço é administrado pela empresa Trail.

A Proguaru anunciou que em ação preventiva diminuiu em 30% o uso de suas máquinas, equipamentos e veículos, a fim de manter uma reserva técnica para eventuais emergências, além disso, reforçaram que caso o impasse entre os caminhoneiros e a União se mantenha, a empresa reduzirá o uso de sua estrutura em mais 10% entre sábado e domingo, dando prioridade somente às ações indispensáveis e emergenciais.

Consequências na aviação

Nos aeroportos, a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR) informa que ainda não é possível calcular a quantidade de voos ou rotas impactadas em virtude dos protestos, mas que seguem rígidos nos padrões de segurança de voos, inclusive em relação à quantidade necessária de combustível para que as aeronaves decolem.

Segundo a GRU Airport, em Cumbica há armazenamento de combustíveis suficiente para abastecer os voos de origem, devido ao pool que o aeroporto dispõe, entretanto, alerta os passageiros para que façam o monitoramento dos voos junto às empresas aéreas e fiquem atentos às condições do trânsito até o local por conta das manifestações dos motoristas de caminhões e que estão atentos aos voos com destino ao Aeroporto Internacional de Cumbica que estejam impactados pela falta de abastecimento e suas respectivas ordens.

Foto: Pedro Lacerda