Guarulhos registra maior número em picadas de escorpião dos últimos três anos

Lucy Tamborino

A ocorrência de picadas de escorpiões cresceu nos últimos três anos em Guarulhos. Até agora o número também já superou todos os casos contabilizados no ano passado.

Nesse ano 47 pessoas foram picadas pelo aracnídeo, contra 46 caso sem todo ano passado. Em 2016 os números foram ainda menores com 38 acidentes. As regiões de Vila Galvão, Taboão, Bom Clima, Bonsucesso e Pimentas juntas são os locais que possuem mais registros de ocorrências de picada do escorpião.

Como primeira reação, algumas pessoas pensam em fazer um torniquete no local atingido. Segundo especialistas, isso não é recomendado,pois aumenta a concentração da substância em apenas um local do corpo. Em caso de acidente, a recomendação do Ministério da Saúde é procurar imediatamente um serviço de saúde.

A picada pode ser tratada com soro antiescorpiônico. Crianças e idosos são os mais vulneráveis ao veneno. Apesar de a maioria dos casos não se agravarem, o envenenamento pode levar à morte.

A tendência é o número crescer ainda mais se os cuidados necessários não forem tomados. Áreas próximas a galerias de esgotos e águas pluviais, margens córregos e terrenos baldios com presença de entulhos, locais escuros e úmidos, têm maior incidência de escorpiões. Eles se alimentam de moscas, baratas e outros insetos, ou seja, locais com sujeira, são convidativos para a premência deles. Alguns cuidados básicos podem ser tomados, como manter limpos os quintais, terrenos e jardins; e colar os lixos domésticos em sacos plásticos e mantidos fechados.

Imagem: Divulgação