Guarulhos intensificará busca ativa de casos suspeitos de tuberculose

Neste mês de combate à tuberculose, Guarulhos vai intensificar a busca ativa de pessoas com sintomas da doença. A partir de segunda-feira (15) até o próximo dia 29, equipes das Unidades Básicas de Saúde (UBS) irão intensificar a abordagem junto à população para orientar, esclarecer e identificar casos de sintomáticos respiratórios, bem como serão ofertados exames. Essas ações se darão nos acolhimentos, em salas de espera, nas consultas médicas, de enfermagem, em farmácias e nas visitas domiciliares pelos agentes comunitários de saúde.

O objetivo é diagnosticar precocemente os casos e encaminhar para tratamento, que é totalmente gratuito e pode ser realizado em todas as UBS da cidade. Ele deve ser feito por um período mínimo de seis meses, diariamente, e sem nenhuma interrupção, sendo que depois de iniciado a pessoa já não transmite mais a doença. Ainda assim, a medicação deve ser administrada rigorosamente até que o médico confirme a cura total do paciente, que pode chegar a 100% quando a adesão é integral e precoce.

Em Guarulhos foram notificados 546 novos casos de tuberculose no ano passado, com 35 óbitos. Os números apontam para uma queda de 20% em relação aos registros de 2019. Segundo dados do Departamento de Vigilância em Saúde Municipal, 10% dos pacientes infectados vivem com HIV/aids e, por isso, são acometidos com maior frequência e gravidade, sendo a tuberculose a principal causa de morte nessa população.

Dia Mundial de Combate à Tuberculose

Em 1982, a Organização Mundial da Saúde (OMS) elegeu 24 de março como o Dia Mundial de Combate à Tuberculose, uma data para alertar sobre essa doença infecciosa e transmissível que afeta principalmente os pulmões, mas também pode acometer outras partes do organismo, como ossos, rins e meninges.

A data foi criada em homenagem aos cem anos do anúncio do descobrimento do bacilo causador da tuberculose, ocorrido em 24 de março de 1882 pelo médico Robert Koch. Segundo estimativas da OMS, um terço da população mundial está infectada pelo Mycobacterium tuberculosis e em risco de desenvolver a doença. Há cerca de 8,8 milhões de doentes e 1,1 milhão de mortes por ano no mundo.

O Brasil ocupa o 17º lugar entre os 22 países responsáveis por 82% do total de casos de tuberculose no mundo. Embora seja uma doença passível de ser prevenida, tratada e mesmo curada, ainda mata cerca de 4,7 mil pessoas todos os anos no Brasil.

Cada paciente com tuberculose pulmonar que não se trata pode infectar em média de dez a 15 pessoas por ano. Alguns fatores contribuem para a disseminação da doença, tais como pobreza, má distribuição de renda, aids, desnutrição, más condições sanitárias e alta densidade populacional. A melhor forma de prevenir a sua transmissão é fazer o diagnóstico precoce e iniciar o tratamento adequado o mais rápido possível.

Sinais e sintomas

Os sinais e sintomas mais frequentes da tuberculose são tosse seca ou com secreção por mais de três semanas, podendo evoluir para tosse com pus ou sangue, cansaço excessivo e prostração. Além disso, as pessoas infectadas também costumam apresentar febre baixa geralmente no período da tarde, suor noturno, falta de apetite e emagrecimento acentuado.