Guarulhos deve ficar sem 20 profissionais do programa Mais Médicos até o ano que vem

Lucy Tamborino

Com a determinação do Ministério da Saúde, que somente os municípios com maior vulnerabilidade social se tornarão elegíveis para a renovação de contrato do programa Mais Médicos, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Guarulhos deverão perder 20 médicos até 2020.

Neste ano, o município vai perder um médico que atua na UBS Mário Macca, em Cumbica. Em 2020, serão 19 baixas de profissionais que atuam nas seguintes UBS: Santos Dumont, Soimco, Acácio, Recreio São Jorge, Nova Bonsucesso, Nova Cidade, Marinópolis, Bananal, Allan Kardec, Palmira, Cummins, Álamo, Seródio, Jacy e Jovaia. No total há 43 profissionais atendendo atualmente pelo programa no município. Os outros 23 profissionais terão os contratos encerrados em 2021 e 2022.

O Ministério da Saúde afirmou que vem mantendo a reposição dos profissionais no Mais Médicos apenas municípios com perfis de maior vulnerabilidade, além dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas. Ainda reforçou que o número de vagas desocupadas é dinâmico e varia constantemente, conforme a saída e a reposição dos profissionais.

Além disso, o Ministério relatou que publicou uma portaria no início de abril estendendo para seis meses o prazo de pagamento da verba de custeio repassada às UBSs que perderam profissionais do Mais Médicos. Os gestores dessas localidades que perderam profissionais do programa poderão utilizar esses recursos para contratar os próprios médicos.

O órgão ainda mencionou o lançamento do Programa Médicos Pelo Brasil, porém não informou quando será lançado o primeiro edital e se Guarulhos estará incluído.  Ao todo, serão 18 mil vagas previstas, sendo oferecidas para cerca de 13 mil em municípios de difícil provimento. Sem dar mais detalhes, destacou que a estratégia ampliará em cerca de sete mil vagas a oferta atual de médicos em municípios onde há os maiores vazios assistenciais do Brasil.