Guarulhos cresce e se torna o 7º maior município exportador do estado

Mayara Nascimento

A cidade fechou o primeiro trimestre do ano com 406 empresas atuantes na exportação, assim se sagrando como o 7º maior município exportador do Estado de São Paulo e o 17º do país. Neste ano, Guarulhos apresentou US$ 1,65 bilhão de exportações, um aumento de 9,5% em relação ao ano passado.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (29), no lançamento da 6ª edição do Caderno Econômico de Guarulhos, que aconteceu no Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp). O caderno foi elaborado pela equipe do Departamento de Relações Econômicas da Secretaria de Desenvolvimento Científico, Econômico, Tecnológico e de Inovação (SDCETI).

“Guarulhos é conhecida por sua vocação logística, pelo aeroporto e pela proximidade com o Porto de Santos, mas muita gente não entende os indicadores econômicos que dão credibilidade econômica. O caderno oferece uma base de informações para que o empresário faça seu investimento na cidade com mais segurança”, informou o secretário da SDCETI, Willian Cotrim Paneque.

O principal produto exportado é o combustível, devido ao GRU Airport – Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica. O ranking também apresenta máquinas e aparelhos mecânicos, produtos químicos inorgânicos, pedras preciosas e produtos farmacêuticos, que são levados principalmente para os Estados Unidos, Alemanha, Argentina e Reino Unido.

Quanto às importações, Guarulhos continua sendo a 6ª maior do estado e a 16ª maior do país. Cerca de 25% das importações tiveram origem na China, representando US$ 428 milhões.

Empregos

Toda a movimentação de mercadorias gerou um saldo positivo de 196 postos de trabalho de janeiro a agosto, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). A tendência é que o número aumente no final do ano por conta de empregos temporários para o Natal. Até agosto foram registrados 324.363 postos de trabalho formal.

Neste ano 65 empresas foram beneficiadas pela Lei de Incentivo Fiscal, que visa atrair novos investimentos na cidade. Elas foram responsáveis por 10.361 empregos formais. “O melhor jeito de uma cidade crescer é através da empregabilidade. A melhor política pública é gerar emprego. E para isso, é preciso fomentar a indústria e os diversos setores. Estamos trabalhando muito para que a cidade volte a crescer e que todos tenham orgulho”, comentou o prefeito Guti.

Os setores de indústria de transformação, serviços e o comércio, foram os principais responsáveis pela geração de emprego. A recuperação do emprego no setor industrial é fundamental para a melhora dos indicadores econômicos da cidade. Ele exerce uma forte influência nos demais segmentos, pois é o segundo setor com maior média salarial, R$ 3.818,75.

Para incentivar as empresas da cidade a se tornarem internacionais e fazerem negócios fora do país, o evento também recebeu palestras com dicas, ensinamentos e casos de sucesso para exportações.

Imagem: Mayara Nascimento