Guarulhos concentra 11% dos roubos de carga do estado

Equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) escoltam uma carga de combustível para aviação desde a Refinaria da Petrobras em Araucária (PR) até o Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais (PR).Foto PRF

Pedro Lacerda

Segundo maior município do Estado de São Paulo, Guarulhos concentra 11% do total de roubo de cargas registrado em território paulista.

Dados da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo revelam que dos 1.700 casos observados no estado, 197 foram registrados em Guarulhos. No período, segundo a SSP, 1.462 pessoas foram presas em flagrante e 119 armas de fogo foram apreendidas em todo o estado.

Na tarde de ontem, a Delegacia de Roubo de Cargas de Guarulhos localizou em Cumbica, um galpão que continha um baú refrigerador de queijo e um cavalo mecânico, roubados por uma quadrilha. Segundo a polícia, o valor estimado da carga é de R$ 300 mil.

É na cidade também que está trecho da rodovia que concentra a maior parte desses crimes, a via Ayrton Senna. Importante ligação da capital paulista às cidades do Vale do Paraíba, ela é considerada a mais visada pelos assaltantes. Na terça-feira (10) houve registro de dois casos de roubo de carga praticados pela mesma quadrilha.

Combustíveis

Os caminhões-tanque, responsáveis pela distribuição de combustíveis no país, também sofrem frequentemente sendo o alvo dos ladrões de carga. Os criminosos se vestem, em alguns casos, como policiais rodoviários para fazer com que os caminhoneiros encostem e realizam o roubo.

Segundo a polícia, um dos motivos que estimulam os criminosos a roubarem combustíveis, é o reajuste constante que a Petrobras faz com relação ao preço do diesel. O valor do etanol, por exemplo, subiu 18% nos últimos 12 meses. Supõe-se que estes combustíveis roubados estão sendo vendidos pelos criminosos aos postos, que por sua vez, sem saber do ato, os comercializam.

Imagem: Divulgação