Guarulhos alcança nota máxima em autonomia no Índice de Gestão Fiscal

Lucy Tamborino

Guarulhos foi considerada uma cidade totalmente autônoma, o que significa que a relação entre as receitas oriundas da atividade econômica do município e os custos para financiar sua existência é equilibrada. O município recebeu a nota máxima neste quesito que vai de 0 a 1, sendo classificado como excelente. Os dados fazem parte do Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF) 2019 e foram divulgados esta semana pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). Os dados da pesquisa se referem a 2018.

O estudo ainda possui outros três critérios do IFG: gastos com pessoal; liquidez e investimentos. No primeiro o município atingiu 0,65; no segundo 0,5 e no terceiro 0,19. O quesito investimento foi o pior avaliado e a situação da cidade foi considerada crítica. Esta classificação é recebida pelo munícipio desde 2014. Com nota final de 0,59 IFG, Guarulhos está na 277ª colocação a nível estadual e na 1.509ª nacionalmente.

Ao todo, o estudo avaliou o desempenho econômico de 5.337 cidades brasileiras. No geral o índice apontou para dados não tão promissores: 73,9% desses municípios estão em situação fiscal difícil ou crítica. São 3.944 cidades nesta condição, incluindo nove capitais: Florianópolis, Maceió, Porto Velho, Belém, Campo Grande, Natal, Cuiabá, Rio de Janeiro e São Luís. Outros pontos aparados são que 47% das cidades brasileiras investem, em média, apenas 3% da receita e 21% das prefeituras no “cheque especial” terminaram 2018 sem recursos em caixa para cobrir as despesas adiadas.

Imagem: Sidnei Barros/PMG