Guarulhos 2040: uma cidade planejada para as próximas gerações

fintech icon on abstract financial technology background represent Blockchain and Fintech Investment Financial Internet Technology Concept.

Rosana Ibanez

Num mundo em rede, onde a tecnologia já substitui as mais variadas relações de negócios, são as cidades que cada vez mais importam, e não os estados ou países. As populações estão inseridas em cidades e os governos precisam começar a pensá-las e projetá-las para o futuro. Guarulhos já deu o ponta pé inicial sendo pensada e planejada com melhor ordenamento urbano através do projeto “Guarulhos 2040”.

A proposta é tornar o município uma referência em planejamento e oportunidades para seus moradores, criando um modelo para alcançar o desenvolvimento sustentável. Dessa forma o Guarulhos 2040 é uma iniciativa apartidária estrutura em 12 eixos temáticos, que por vez são alinhados aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU) aplicados no âmbito dos municípios.

Guarulhos confirmou seu engajamento com o Programa Cidades Sustentáveis por meio de assinatura da Carta-Compromisso. Além disso, realizou em 2017 um levantamento de informações do município para a composição de indicadores utilizados pelo PCS e estabeleceu seu Plano de Metas.

O plano trabalha com as vocações da cidade que são a grande população, a localização privilegiada, a conexão mundial, o polo industrial e logístico, além da economia forte e diversificada. A ideia é aliar a visão de futuro proporcionando qualidade de vida, sustentabilidade, produção de conhecimento, desenvolvimento tecnológico e cidade global.

“Em linhas gerais é um núcleo de planejamento estratégico que pensa Guarulhos 2040. Esse núcleo é composto por servidores públicos de carreira liderado pelo prefeito e por mim pensando na cidade do futuro. Em 2020 esse grupo terá um planejamento dos principais projetos e do que a cidade vai precisar fazer para ter a Guarulhos 2040 que a gente desenha. A grande diferença é que a hora que mudar o prefeito ele não vai poder mudar o planejamento. Essa visão que o governo está tendo em relação a planejamento da cidade é o grande marco de inovação”, destacou o secretário da SDCETI, Rodrigo Barros.

A inovação é um desafio a ser buscado e conquistado por Guarulhos, mas não apenas por seus governantes. É algo pelo qual todos os cidadãos decidem em conjunto. E isso não acontecerá de forma instantânea. O futuro precisa de tempo e, como uma startup, precisa ser imaginado, prototipado, experimentado, testado, revisto, até estar em condições para crescer de verdade.

E para isso as tecnologias são ferramentas fundamentais para o desenvolvimento das cidades. Há muito tempo as pessoas deixaram de enviar uma carta ou até mesmo realizar um pagamento com cheque, mas envia-se diariamente dezenas de mensagens por e-mails ou outra infinidade através de aplicativos. São eles inclusive responsáveis pelo pagamento de contas, escolher uma refeição, traçar um caminho e tantas outras possibilidades e tudo isso feito através de um simples clique no celular.

O planejamento, aliado as inovações que vêm sendo buscadas e pensadas atualmente, será fundamental para o futuro do país. Isso porque é das cidades que vêm as inovações que criam o futuro do Brasil.

E em Guarulhos, não seria diferente. A segunda maior cidade do Estado de São Paulo traça planos audaciosos e pretende alçar voos mais altos, em busca de reconhecimento internacional.

Dessa forma, a Folha Metropolitana apresenta os projetos que estão iniciando agora, mas que transformação a Guarulhos de 2020 na cidade do futuro.

Imagem: Divulgação