Guarucoop celebra 33 anos de história com conquistas e solidificação da categoria

Pedro Lacerda

Com uma ampla história dentro da categoria dos taxistas, a Cooperativa Mista de Trabalho dos Motoristas Autônomos de Táxis do Município de Guarulhos (Guarucoop), cujos serviços são dispostos com uma frota de 785 veículos aos passageiros que estão no GRU Airport – Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, celebrará seu 33° aniversário de existência com diversas conquistas, dentre elas, a solidificação dos profissionais da área de atuação, além de prêmios internacionais.

De acordo com Waldir Almeida da Silva, presidente da Guarucoop, para a empresa é de suma relevância a excelência no atendimento aos clientes. “Nós trabalhamos sempre com máximo respeito aos nossos passageiros que são pegos pelos nossos cooperados no Aeroporto de Guarulhos, por isso sempre damos coachings e os treinamos para que possam, não só realizar uma boa viagem, mas também proporcionar aos clientes uma experiência inesquecível”, afirma.

Após 22 anos como presidente da Guarucoop, Edmilson Americano, atualmente vice-presidente da cooperativa, aponta a união da categoria como um diferencial, sendo a fila única um dos maiores legados. Isso porque no início da fundação da Guarucoop, um grupo de taxistas que dirigia carros comuns resolveu deixá-la e criar sua própria cooperativa, começando uma grande disputa entre os dois grupos. A solução para o entrave só veio com a fila única e a extinção da categoria dos táxis especiais.

“A falta da fila única provocava uma verdadeira guerra e desunião, a ponto de chegar a agressões físicas. Com muita luta consegui aprovar na Câmara a lei da fila única se tornando referência no país”, expressa Americano que atualmente também é secretário de Serviços Públicos.

Nova sede

Inaugurada há pouco mais de dois meses, a nova sede da Guarucoop conta com um espaço moderno pensado, inclusive, para a melhor acomodação dos funcionários. “A cooperativa sempre teve funcionários trabalhando 24 horas por dia, todos os dias do ano, isso tudo graças ao fato de valorizarmos nosso time com aquilo que eles merecem. Hoje na nossa nova sede temos uma sala de descanso, sala de treinamento, um novo local para alocação dessas pessoas”, afirma.

A categoria recebe um treinamento baseado no ensino de outros idiomas, como o inglês, que também será realizado no novo espaço. “É fundamental darmos uma base para eles, não só enquanto seres humanos e de como deve ser o tratamento deles com os passageiros, mas valorizamos a importância da aula de inglês, porque muitos dos clientes que saem do aeroporto são turistas e essa comunicação precisa acontecer. Nenhum taxista nosso vai para as ruas sem que haja nossa total aprovação mediante aos treinamentos”, frisa o presidente.

Imagem: Pedro Lacerda