GRU Airport é eleito o melhor aeroporto em eficiência na restituição de bagagem aos passageiros

Pedro Lacerda

Dentre os 38 itens de Pesquisa Permanente de Satisfação do Passageiro, disponível no site do Ministério dos Transportes, o GRU Airport – Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, obteve a primeira colocação no quesito maior eficiência na restituição de bagagens, com base nos dados dispostos online pelo órgão.

As informações são concedidas trimestralmente pela Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC) e contemplam diversos itens de satisfação, dentre eles a infraestrutura, atendimento, serviços e itens de gestão dos 20 principais aeroportos do Brasil.

Com relação à qualidade de atendimento da informação nos painéis das esteiras de restituição de bagagem, mensurados de um a cinco, os números demonstram um aumento nos índices de qualidade do aeroporto de Guarulhos, quando comparados com o ano passado, onde a média era de 4,30. Em 2018, a média geral é 4,61.

Segundo a SAC, o mapeamento permite ao governo brasileiro monitorar o desempenho operacional dos terminais e a percepção do usuário sobre o serviço, além de oferecer bases para o planejamento de políticas públicas para o setor.

Terminais de Brasília, Curitiba e Natal destacam-se nas pesquisas

Dividida em três frentes que contemplam o tamanho dos aeroportos em: comporta até cinco milhões de passageiros, de cinco a 15 milhões e acima de 15 milhões, os terminais que obtiveram as melhores notas foram os aeroportos de Natal, Curitiba e Brasília, respectivamente.

Dentre as categorias que o terminal da capital federal ficou em primeiro lugar estão maior eficiência em check-in, raio-X e controles migratório e aduaneiro dentre todos os aeroportos, com capacidade acima de 15 milhões de passageiros.

Em novembro de 2017, o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil ampliou a pesquisa de 15 para 20 aeroportos em todo o Brasil. As cidades que tiveram a inclusão de seus terminais foram Belém (PA), Maceió (AL), Goiânia (GO), Vitória (ES) e Florianópolis (SC).

Imagem: Arquivo PAC