Governo anuncia que SP vai receber 4 milhões de doses extras da vacina Coronavac

SP - CORONAVÍRUS/DORIA/POSITIVO/ARQUIVO - POLÍTICA - Foto de arquivo de 21 de julho de 2020 do governador do estado de São Paulo, João Doria (PSDB), durante entrevista coletiva realizada no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), na zona oeste da capital paulista, sobre a realização da fase clínica de testes da vacina Coronavac contra o novo coronavírus. Doria testou positivo para a covid-19. 21/07/2020 - Foto: TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO CONTEÚDO

O Governador João Doria confirmou nesta quarta-feira (7) que São Paulo vai receber mais 4 milhões de doses prontas da vacina Coronavac para agilizar o PEI (Plano Estadual de Imunização) contra a COVID-19 nos 645 municípios paulistas. O lote extra começa a ser entregue já nesta quarta, com a chegada de 2,7 milhões de doses no Aeroporto Internacional de Guarulhos.

“O Governo de São Paulo compra, adicionalmente, 4 milhões de doses extras para agilizar a campanha de vacinação no estado”, afirmou Doria. “Vamos antecipar o calendário de vacinação em São Paulo sem interferir no contrato do Instituto Butantan com o Brasil”, acrescentou.

A chegada das 4 milhões de doses extras para São Paulo foi viabilizada pela Secretaria de Saúde após acordo entre o Governo do Estado e a biofarmacêutica Sinovac. A segunda remessa com 1,3 milhão de vacinas deve ser entregue no próximo dia 26. As tratativas para a aquisição destas doses extras foram iniciadas em março deste ano.

O reforço no total de vacinas contra o coronavírus em São Paulo é mais uma garantia que o PEI será cumprido. A meta é que toda a população adulta dos 645 municípios paulistas esteja protegida com ao menos uma dose até o dia 15 de setembro, com possibilidade de antecipação conforme a disponibilidade de imunizantes.

Sem a necessidade de produção e envase na fábrica do Butantan, a campanha de imunização em São Paulo ganha mais velocidade com as 4 milhões de doses prontas que chegam neste mês. Os imunizantes poderão ser usados pelas Prefeituras tanto para completar os ciclos vacinais de duas doses, como para a ampliação do público de primeira dose.