Gileno deixa PSL para filiar-se no Pros

Depois de 12 anos e nove meses filiado ao Partido Social Liberal (PSL), o deputado estadual Gileno Gomes, primeiro e único representante da sigla na Assembleia Legislativa, filiou-se ao Partido Republicano da Ordem Social (Pros) durante o período denominado ‘janela partidária’, que permite aos deputados federais e estaduais que desejarem se candidatar nas Eleições de 2018, mudar de partido sem correr o risco de perder o mandato.

O parlamentar, que disputou quatro eleições pelo PSL – duas para vereador e duas para deputado estadual -, explicou que a decisão foi tomada logo que a equipe do deputado federal Jair Bolsonaro assumiu o comando da antiga legenda em nível nacional. “Infelizmente, a ideologia adotada por eles, nada tem a ver com a ideologia da maioria do grupo que estava no partido há muitos anos”, disse.

Gileno lembrou que o filho de Jair Bolsonaro fez questão de frisar que a partir de 2019 o PSL será um partido de direita e conservador. “Diante deste cenário, a maioria do grupo chegou à conclusão que teria de mudar de partido”, disse. O deputado estadual conta que recebeu convites de várias legendas, tais como PSDB, PSB, PV, PP, PR, entre outras. “Depois de muito analisar toda a conjuntura, o grupo decidiu que o melhor caminho seria se filiar no Pros”, disse.

A ficha de filiação no PROS foi assinada no último dia 27 de março, em Brasília, após conversa com o presidente nacional Eurípedes Junior, e com o presidente estadual Ricardo Teixeira, que é vereador na capital paulista. A cerimônia oficial de posse será realizada no dia 17 deste mês, às 19h, na Assembleia Legislativa, com a presença de vários integrantes da nova legenda.

Foto: Divulgação