Gestão Doria lança aluguel de bike por Bilhete Unico e com até 12 h de uso

Após uma breve suspensão, o programa Bike Sampa está sendo relançado nesta terça-feira (30) com regras novas. Entre as mudanças no sistema de compartilhamento de bicicletas da Prefeitura de São Paulo está a liberação dos veículos por meio do Bilhete Único e o uso por até 12 horas seguidas.
As novidades já vinham sendo prometidas pela gestão João Doria (PSDB) desde o ano passado. A mudança do sistema, no entanto, começou a ser feita no último dia 19, o que exigiu a suspensão dos empréstimos, que vinham sendo feitos no modelo antigo, nos últimos dias.
Nessa nova versão, não haverá mais o compartilhamento gratuito na primeira hora de viagem. Todo usuário tem que ter um plano pago ativo para a retirada da bicicleta. Eles podem ser diário (R$ 8), de três dias (R$ 15), mensal (R$ 20) e anual (R$ 160).
A contratação do serviço poderá ser feita pelo aplicativo Bike Itaú (disponível para Android e IOS) e pelo site, com o uso do cartão de crédito. Já o pagamento em dinheiro passa a ser possível, mas só para os planos mensal e anual, em um ponto de atendimento na rua José Bento, 314.
Ao todo, serão 25 estações com 250 bicicletas. A retirada em cada uma delas pode ser feita com o cartão do usuário (opcional na hora da contratação do plano), com o código disponibilizado no app ou com o Bilhete Único, que deverá ser cadastrado na contratação do plano.
O usuário poderá usar o serviço quantas vezes quiser dentro do tempo previsto pelo plano, mas ainda seguindo a regra antiga de viagens de até 60 minutos, com intervalos de 15. Caso o período de uso ou de intervalo sejam violados, uma taxa de R$ 5 será cobrada por cada hora excedente.
A cobrança da “multa” será feita diretamente no cartão de crédito cadastrado ou com a emissão de boleto, em caso de pagamento em dinheiro. Nesse segundo caso, a pessoa só poderá voltar a usar as bikes 24 horas depois do pagamento.
O Itaú continua a ser o patrocinador do programa, que terá a empresa Tembici. como operadora do sistema e a PBSC Urban Solutions como fornecedora.
A expectativa da prefeitura é que até o final do semestre sejam 260 estações com 2.600 bikes.

‘DORMINDO’ EM CASA
A exceção ao prazo de 60 minutos serão as cinco Estações Bikes, que permitirão o uso das bicicletas por até 12 horas seguidas. Prevista para entrar em vigor em 2 de março, essa modalidade de compartilhamento estará restrita a cinco terminais de ônibus.
Em julho do ano passado, o secretário municipal de Transportes, Sérgio Avelleda, já tinha exemplificado como vai funcionar esse tipo de compartilhamento. “A pessoa chega em Itaquera, pega a bicicleta, a leva para casa e pode usá-la no dia seguinte para voltar à estação. Se tiver só 30 minutos, não vai querer [alugar uma bike]”.
“Esse serviço tem uma característica que chamamos de ‘a última milha’, a conexão entre estações de metrô e um prédio comercial, uma universidade, uma residência. Tem que se integrar com o sistema de transporte público. Os grandes pontos de chegada e de partida terão prioridade na instalação das estruturas”, disse.
As estações escolhidas para receber essa modalidade de compartilhamento são: os terminais de ônibus de Itaquera e Tatuapé (zona leste); Capelinha e Jabaquara (zona sul); e Vila Nova Cachoeirinha (zona norte).
Usuário não cadastrado poderá comprar o plano ainda nos totens de autoatendimento, que estarão disponibilizados em cerca de 30% das estações.
Inicialmente, o sistema de compartilhamento de bicicletas fazia parte do projeto de lei 367/2017, do Executivo, que trata da concessão de parques, terminais de ônibus, Bilhete Único e mercados e sacolões, mas foi retirado para dar lugar ao decreto.
O compartilhamento de bicicletas acontece em São Paulo desde 2012. Atualmente, o serviço conta com cerca de 800 mil usuários cadastrados, que já realizaram mais de 2,4 milhões de viagens na capital paulista.

Veja onde estarão as estações do Bike Sampa
1. Largo da Batata: av. Brigadeiro Faria Lima, com Teodoro Sampaio
2. CPTM Pinheiros: r. Gilberto Sabino, 138
3. Rua Butantã: travessa da r. Butantã, 316
4. Praça Joaquim Roberto: av. Rebouças, 3.642
5. Rua Campo Verde: r. Campo Verde, 231
6. Praça Faria Lima: r. Cardeal Arcoverde, com Faria Lima
7. Esporte Clube Pinheiros: r. Angelina Maffei Vita, 524
8. Rua Prof. Artur Ramos: r. Prof. Artur Ramos, 350
9. Esporte Clube Pinheiros: r. Hans Nobiling, oposto ao nº 47
10. Rua José Gonçalves de Oliveira: r. José Gonçalves de Oliveira, 44
11. Av. Dr. Cardoso de Melo: r. Funchal, com av. Dr. Cardoso de Melo
12. Parque do Povo: av. Henrique Chamma – portão 1 do Parque do Povo
13. Rua Leopoldo Couto: r. Leopoldo Couto de Magalhães Jr., 1.151/1.163
14. Vila Olímpia: r. Gomes de Carvalho, no acesso à estação Vila Olímpia
15. Rua Funchal: r. Funchal, oposto o número 129
16. Rua Helena: r. Helena, 29
17. Rua Min. Jesuíno Cardoso: esquina com Faria Lima
18. Rua Comendador Miguel: esquina com r. Clodomiro Amazonas
19. Rua João Franco: r. João Franco, 18
20. Bandeira Paulista: r. Bandeira Paulista, 1.237
21. Rua Benedito Lapin: r. Benedito Lapin, 81
22. E.E. Aristides de Castro: r. Urussuí, oposto ao nº 352
23. Viradouro: r. Viradouro, oposto ao número 30
24. Brasília: r. Brasília, número 147 – esquina com r. Joaquim Floriano
25. Tapinás: r. Tapinás – esquina com r. Pedroso Alvarenga

(Folhapress)
Foto: Rafael Morse/Folhapress