Forte temporal causa estragos na cidade e derruba 70 árvores

Mayara Nascimento

O segundo temporal do ano causou diversos estragos na cidade entre a noite de segunda-feira (25) e a madrugada de ontem. Até às 16h de ontem foram registradas 70 quedas de árvores e muitos bairros ficaram sem energia elétrica. Um muro também caiu na Vila das Bandeiras.

Em alguns bairros, a Defesa Civil registrou volume de chuvas de 46 mm, como foi o caso de Cumbica. Contudo, não houve registros de pontos de alagamento no município. O temporal veio acompanhado por intensas rajadas de vento que atingiram 55,6 km/h, de acordo com dados do GRU Airport – Aeroporto Internacional de São Paulo, que ficou fechado para pousos e decolagens. Com o forte vento, casas foram destelhadas na Vila Rosália e os vidros da Academia Gaviões, na Vila Galvão, ficaram estilhaçados.

Por volta das 20h de segunda-feira (25), houve aumento em mais de 10 vezes no volume de ocorrências relacionadas à energia elétrica. Na madrugada, 80% dos clientes impactados já tinham sido restabelecidos.

O muro de um condomínio na Vila das Bandeiras caiu e atingiu 10 carros, oito dentro do condomínio e outros dois que estavam do lado de fora. As pastilhas de revestimento das paredes do prédio também foram levadas com o vento.

A Defesa Civil registrou 36 chamados em diversas regiões, entre elas Vila Galvão, Itapegica, Santa Emília, Vila Endres e Cumbica.

As chuvas da noite de segunda-feira (25) e na madrugada de ontem causaram diversos estragos na cidade. Até às 16h de ontem foram registradas 70 quedas de árvores e muitos bairros ficaram sem energia elétrica. Um muro também caiu na Vila das Bandeiras.

Em alguns bairros, a Defesa Civil registrou volume de chuvas de 46 mm, como foi o caso de Cumbica. Contudo, não houve registros de pontos de alagamento no município. O temporal veio acompanhado por intensas rajadas de vento que atingiram 55,6 km/h, de acordo com dados do GRU Airport – Aeroporto Internacional de São Paulo, que ficou fechado para pousos e decolagens. Com o forte vento, casas foram destelhadas na Vila Rosália e os vidros da Academia Gaviões, na Vila Galvão, ficaram estilhaçados.

Por volta das 20h de segunda-feira (25), houve aumento em mais de 10 vezes no volume de ocorrências relacionadas à energia elétrica. Na madrugada, 80% dos clientes impactados já tinham sido restabelecidos.

O muro de um condomínio na Vila das Bandeiras caiu e atingiu 10 carros, oito dentro do condomínio e outros dois que estavam do lado de fora. As pastilhas de revestimento das paredes do prédio também foram levadas com o vento.

A Defesa Civil registrou 36 chamados em diversas regiões, entre elas Vila Galvão, Itapegica, Santa Emília, Vila Endres e Cumbica.