Formulário virtual ajuda empresas a identificar sintomas de covid-19 em funcionários na reabertura

Com os anúncios de flexibilização das regras de isolamento para diversos setores de atividade econômica em vários locais do país, uma solução tecnológica pode ajudar os empregadores a avaliar a condição de saúde de seus colaboradores neste retorno gradual ao trabalho presencial. A empresa B2 Mídia, por meio da sua plataforma Worksphere, vai disponibilizar um formulário virtual para que as empresas identifiquem colaboradores com sintomas de covid-19.

Para que a iniciativa seja efetiva, o funcionário, antes de sair casa para o local de trabalho, precisará preencher o formulário disponível no aplicativo de seu celular, com questões relacionadas aos sintomas do coronavírus. 

A própria ferramenta vai indicar, de maneira bastante clara e simples, se o colaborador estará apto para trabalhar ou não. Além disso, a plataforma também mostrará as instruções emergenciais às pessoas com a suspeita da doença, que já fez mais de 40 mil vítimas fatais, em menos de três meses, somente no Brasil.

Após o funcionário colocar as suas informações no questionário, o gestor terá acesso ao relatório, pelo painel administrativo da ferramenta, e acompanhará o estado clínico deste colaborador em tempo real. 

O executivo da empresa que desenvolveu a plataforma destacou que o principal objetivo do formulário é salvar vidas. “Um de nossos clientes, inspirado em um projeto implementado na General Motors, sugeriu aplicarmos o questionário na Worksphere. Em um momento em que o comércio está sendo reaberto aos poucos, acreditamos que a ação facilitará o controle do vírus dentro de cada empresa e ajudará no combate à doença na sociedade como um todo”, argumentou Franklin Lino.

Os 100 primeiros estabelecimentos que se cadastrarem por meio do link http://worksphere.com.br/autodiagnostico-covid-19/ terão acesso gratuito à ferramenta até o final de 2020. 

Franklin também salientou que o formulário dará respaldo jurídico aos estabelecimentos em eventuais casos trabalhistas. “Todas as informações relacionadas à saúde do funcionário serão passadas por ele próprio e ficarão armazenadas no banco de dados da ferramenta. Desta forma, o gestor terá como provar que não pediu para nenhum colaborador, com suspeita de Covid-19, se deslocar ao trabalho”, completou.