Ford adia suas três principais estreias de 2020

A Ford deve atrasar o lançamento de seus três principais produtos programados para 2020. O motivo é a pandemia causada pelo novo coronavírus. Neste ano a marca pretendia começar a vender o Mustang Mach-E, mostrar o Bronco e uma nova geração da F-150. Mas a programação foi adiada, já que a empresa teve de fechar fábricas e laboratórios para ajudar a conter a disseminação da covid-19 nos Estados Unidos.

As linhas de produção da marca ficaram paradas por cerca de dois meses e reativaram a produção na semana passada. A fabricante retomou no dia 18 a produção em 24 fábricas em todo o mundo.

A Ford indica que os lançamentos devem ser atrasados por pelo menos o mesmo tempo em que as unidades ficaram paradas. Isso significa que Mach-E e F-150 ainda podem ser lançados em 2020. A nova geração da F-150 começa a ser produzida em setembro, o que permitirá que sua estreia ocorra no último trimestre.

O Bronco Sport, versão menor da aguardada releitura do SUV, também pode aparecer neste ano. Mas o Bronco, que seria o grande destaque da Ford em 2020, deve ficar para o início do ano que vem.

A marca terá de correr para amortizar ao menos parte dos enormes prejuízos causados pelas paralisações. A Ford prevê encerrar o semestre com cerca de US$ 5 bilhões em perdas no período. Portanto, precisa voltar a produzir e vender carros o mais rapidamente possível.

O Mach-E será feito no México, o que facilitará sua vinda ao Brasil. Contudo, a Ford não revelou se e quando o SUV chegará ao País. Assim como é de praxe, a bateria tem garantia de oito anos ou 100 mil quilômetros.

Na versão Select, o motor elétrico gera potência equivalente a 259 cv, com opção de tração traseira e integral, e com torque variável de 42,1 a 59,1 mkgf.

Na Califórnia Route 1, a tração é só na traseira. A potência é de 285 cv, e o torque, 42,1 mkgf. A Premium tem 338 cv e o mesmo torque para as versões com tração traseira e integral.

Já a GT tem cerca de 465 cv e 84,6 mkgf. Com essa potência e torque, a Ford promete aceleração de 0 a 100 km/h em 3,5 segundos – número equivalente ao de um bom V8. A autonomia varia de 338 km a 480 km.

Há um carregador à prova d’água que será vendido para uso em residências. A Ford fez uma parceria com uma empresa de energia na Europa que deve entregar 400 carregadores rápidos até o fim de 2020. Com a utilização desse sistema, bastam dez minutos de recarga para que o carro possa rodar 75 km, de acordo com a empresa.

Há três modos de condução: whisper, engage e unbridled. Este último é esportivo.

A central multimídia mostra o tráfego em tempo real, rota em nuvem para segurança e busca inteligente em 25 idiomas. Tudo apresentado em uma tela de 15,5 polegadas. Logo no lançamento o sistema será compatível com Waze, Pandora, Domino’s, Accu Wheater e Alexa.

Um dos destaques é um app feito pela Ford Pass. O sistema informa a autonomia da bateria em tempo real e indica um local de recarregamento mais próximo, sempre de acordo com a rota e a carga disponível.

Foram feitos estudos de som nos EUA, Europa e China para escolher o “barulho do motor” do Mach-E. Isso porque carros elétricos não emitem som, o que pode ser perigoso para pedestres O “ronco” escolhido parece o dos carros voadores da animação Os Jetsons.

Para abrir as portas, basta pressionar um botão. Na cabine há dez alto-falantes com potência total de 500 Watts, teto solar panorâmico (de série nas versões mais caras) e carregador de celular por indução. Saídas de ar atrás e portas USB com modo de carregamento também são itens de série.

Um segundo porta-malas na frente, no lugar onde fica o motor dos SUVs a combustão, pode virar um cooler. Dá para colocar gelo e manter refrigerados bebidas e alimentos. A tampa sela o compartimento, que tem capacidade para 91 litros.