Falta de limpeza do Instituto Gerir em hospitais pode afetar saúde da população

Da Redação

A falta da limpeza nos hospitais administrados pelo Instituo Gerir poderá afetar diretamente a saúde da população. No Hospital Municipal de Urgência (HMU) quatro pacientes que estão internados foram diagnosticados com uma superbactéria chamada KPC, de acordo com a Secretaria de Saúde.

A limpeza na unidade tem sido precária já que o instituto não teria feito o pagamento à empresa terceirizada responsável pela higiene da unidade e também do Hospital da Criança e do Adolescente (HMCA) que também é administrado pelo Gerir.

Além da limpeza, as duas unidades sofrem com a falta de médicos. Na última segunda-feira (13), funcionários dos dois hospitais entraram em greve por conta do atraso no pagamento dos salários que deveria ser feito pelo Gerir.

Para sanar o problema da falta e pagamento dos médicos, a prefeitura adiantou o repasse do mês de agosto. A administração municipal também fará uma auditoria para verificar os gastos dos hospitais. Isso porque somente neste ano foram repassados ao Gerir R$ 30,2 milhões, conforme previsto em contrato.

No entanto, o Instituto alega que o valor pactuado no contrato já não é mais suficiente para manter as operações do hospital, uma vez que houve um aumento significativo nos atendimentos, não previstos pelo próprio instituto.

Imagem: Fábio Nunes Teixeira