Falha de segurança no Facebook atinge 50 milhões de usuários

Quase metade dos domicílios brasileiros tem computador

Da Redação

Uma falha de segurança afetou 50 milhões de contas do Facebook, disse a rede social nesta sexta-feira, 28. Segundo a empresa, o problema aconteceu devido a uma vulnerabilidade presente no código da plataforma, dentro da função “Ver Como”, que permite aos usuários verem como seus perfis podem ser vistos por outras pessoas, que não são suas amigas na rede social. Em um post publicado no blog oficial da empresa, Guy Rosen, vice-presidente de gerenciamento de produto do Facebook, disse que os usuários que foram afetados serão notificados pela empresa em seu feed de notícias.

Na mesma nota, Rosen disse que a empresa descobriu a falha na última terça-feira (25). Segundo o texto, invasores estavam utilizando a falha no código para assumir as contas dos usuários como medida de segurança, o Facebook deslogou os 50 milhões de usuários afetados. Além disso, a rede também desconectou outros 40 milhões de usuários que fizeram uso da função “Ver Como” no último ano. Vale lembrar que hoje o Facebook tem mais de 2,3 bilhões de usuários ativos mensalmente.

A empresa acrescentou ainda que está no estágio inicial de investigações e não sabe a origem e a identidade dos atacantes, mas já corrigiu a falha e notificou a polícia. Segundo o Facebook, não é necessário mudar a senha hoje utilizada na rede social, mas recomendou que os usuários ativem a autenticação de dois fatores, tecnologia que pede a utilização de um segundo dispositivo para entrar na plataforma. Além disso, acrescentou a rede, é possível verificar na aba de segurança em quais dispositivos o usuário tem sessões ativas – e, se houver algum acesso estranho, é viável “derrubar” esse login.

Com a notícia, as ações do Facebook operavam em queda de 2,7% às 14h50 (horário de Brasília) na tarde desta sexta-feira. O presidente executivo da empresa, Mark Zuckerberg, veio a público tentar acalmar os ânimos. “Não sabemos se alguma das contas foi realmente mal utilizada”, disse Zuckerberg, em entrevista a jornalistas americanos. “Mas é claro que isso pode mudar.”

Imagem: USP Imagens