EUA dizem ter prova do uso de armas químicas na Síria e desafiam Rússia

Escalando o confronto entre EUA e Rússia, o presidente Donald Trump disse nesta segunda-feira (09) que “não há muita dúvida” de que houve um ataque com armas químicas contra civis na Síria e prometeu anunciar sua retaliação em até 48 horas, destaca o jornal O Estado de S. Paulo. “Se é a Rússia, a Síria, o Irã ou todos eles juntos, vamos saber as respostas em breve. Estamos analisando uma (ação) muito forte e muito séria.”

Perguntado se uma ofensiva militar estava entre as possibilidades, Trump respondeu que “nada estava fora da mesa”. No fim da tarde, ele se reuniu com seus chefes militares para discutir os próximos passos. O ataque com armas químicas, no sábado, levou Trump a atacar pela primeira vez de maneira contundente o presidente russo, Vladimir Putin. “Vamos tomar uma decisão hoje (ontem) à noite ou logo depois disso”, disse.

Nesta segunda-feira, Trump disse que será “muito duro” se ficar comprovada a participação da Rússia na ofensiva. Segundo ONGs que atuam na Síria, o uso de armas químicas provocou a morte de pelo menos 49 pessoas em Douma, uma das últimas áreas em torno de Damasco que eram controladas por rebeldes.

Trump classificou o ataque de “hediondo” ao abrir reunião de seu gabinete, no início da tarde de ontem. “Foi um ataque atroz. Foi horrível. Você não vê coisas como essa. Não importa quão ruim sejam as notícias ao redor do mundo, você não vê essas imagens.” Vídeos divulgados por ONGs mostram corpos amontoados dentro de casas, com espuma saindo da boca e das narinas. Em outras imagens, crianças apresentam dificuldade para respirar e aparecem com olhos e pele irritados.

Foto: Boris Baldinger