Especialista aponta investimento metroferroviário como solução

Lucy Tamborino

De acordo com Luiz Vicente, especialista em trânsito e tráfego da Universidade Presbiteriana Mackenzie de Campinas, o problema está em uma decisão tomada há 100 anos, quando as cidades começaram a ser pensadas para os automóveis e ônibus coletivos, extinguindo os populares bondes. “Em função disso deveria ter sido feito um investimento na malha ferroviária, como no metrô e no trem. Esses modais entre o próprio centro da cidade de Guarulhos e São Paulo não têm ligação”, criticou.

Para ele, ainda serão necessárias décadas para mudar essa realidade, já que investimentos não foram feitos lá atrás e nem acompanharam o crescimento populacional. “A pressão da população de forma eficiente é a melhor maneira de se cobrar do poder público. Mas isso não acontece, porque as pessoas procuram sair desta rotina buscando ter um carro próprio. O ideal era que o veículo fosse usado para outras coisas e não na maneira que é utilizado”, argumentou. Atualmente a cada cinco veículos, só o quinto vai ter alguém além do motorista. Os dados são da Região Metropolitana de São Paulo, o que inclui Guarulhos.

Imagem: Lucy Tamborino

Leia também: EMTU não tem prazo para conclusão de corredor