Espalha Fatos com Sergio Lessa

Defensor-mor

O vereador Lauri Rocha, presidente do PSDB Guarulhos, resolveu mostrar serviço para João Doria. Depois que vários vereadores de diversos partidos criticaram por duas sessões seguidas a intenção do governador de fechar na cidade a fábrica Furp (Fundação para o Remédio Popular), inclusive assinando uma moção de repúdio, o guarulhense usou a tribuna da Câmara para dizer que não consegue entender porque os medicamentos têm de ser feitos pelo poder público. Segundo o tucano, o Governo do Estado tem somente que garantir a entrega. Além disso, Lauri assegurou que Doria não vai demitir nenhum funcionário do laboratório farmacêutico. Na próxima sexta-feira, dia 4, às 18h, haverá uma audiência pública na Câmara para tratar do assunto. Ao que tudo indica o parlamentar tucano quer continuar na presidência da sigla e não vai entregar o comando de mão beijada pra ninguém.

O bom filho à casa torna

Foi anunciado no último final semana o retorno do ex-vereador Edson Albertão ao seu partido de origem: o PT. Companheiros da sigla comemoraram o retorno do velho socialista, que estava filiado ao PSOL, partido inclusive que chegou a ser candidato a prefeito nas últimas eleições.

Mais um caminho

O vereador Lamé afirmou que o prefeito Guti (PSB) foi convidado pelas executivas Nacional, Estadual e Municipal do MDB para retornar à sigla, a qual foi eleito vereador em seu primeiro mandato. A intenção é de que Guti busque sua reeleição liderando a militância do Movimento Democrático Brasileiro e seus aliados.

Vai ou fica?

Apesar de outros partidos também já terem convidado o prefeito de Guarulhos para mudar de sigla, como por exemplo o Podemos, do vereador João Dárcio, tem muita gente apostando que Guti continuará no PSB. Tudo porque seu grande aliado, o ex-governador Márcio França, já está posicionando sua pré-candidatura a prefeito de São Paulo e de acordo com conversas de bastidores, vem muito forte na próxima disputa para desbancar Bruno Covas.

Arrependimento

A cúpula do partido Novo de Guarulhos pediu ao empresário Jorginho Mota que voltasse à disputa de postulante a pré-candidato a prefeito da sigla. Pegou muito mal a eliminação precoce do único integrante “diamante” da legenda, ou seja, aquele que mais ajudou nos trabalhos de fundação da agremiação na cidade. O Novo possui também em seus quadros outros membros chamados de “ouro, prata e bronze”, classificados de acordo com a contribuição de cada um. Apesar do convite, Jorginho Mota recusou a proposta e prefere assistir de camarote a disputa entre Wilson Paiva e Dario Arantes. Deverá ser mesmo pré-candidato a vereador. Apesar do discurso dos caciques da legenda, que afirmam ter critérios técnicos para definir o nome do pré-candidato a prefeito, ninguém diz quais são esses critérios. Tem muita gente acreditando que Jorginho Mota só foi retirado da disputa por ser um grande amigo do prefeito Guti. Vai saber…