Educação é destaque em bate-papo com Márcio França em Guarulhos

Da Redação

Cerca de mil pessoas estiveram presentes no bate-papo com o governador do Estado de São Paulo, Márcio França (PSB), no último sábado (28), no Clube Parque Cecap, promovido pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Fatec, com o apoio de lideranças da juventude de Guarulhos e de municípios vizinhos. Na oportunidade, os jovens de diversas cidades do Alto Tietê puderam fazer perguntas para o governador sobre políticas públicas para os diversos setores da sociedade.

O evento, aberto ao público, contou ainda com a presença do prefeito Gustavo Henric Costa, Guti, do presidente da Câmara de Guarulhos e pré-candidato a deputado federal, Eduardo Soltur, e da pré-candidata a deputada estadual Andrea Viegart, ambos pelo PSB, bem como de diversos outros vereadores e lideranças políticas da cidade.

Um dos focos do governador foram temas voltados à Educação. O grande destaque apontado por Márcio França foi o crescimento da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), que permitiu a milhares de jovens a oportunidade de ingressar no ensino superior, com aulas ministradas a distância, por professores de universidades públicas, como USP e Unicamp.

O prefeito Guti agradeceu a liberação de duas mil vagas da Univesp para este segundo semestre, além de recursos para o recape de diversas ruas do município e a autorização para a instalação do Ame+. “Obrigado pela sensibilidade, governador. A cidade de Guarulhos lhe agradece”.

Entre as perguntas feitas ao governador, uma delas foi sobre as salas de aula e a melhora no ensino da rede estadual de Educação. Márcio França defendeu a implantação de novas tecnologias nas escolas, como a lousa digital, a melhor capacitação para os professores se adaptarem a essas mudanças e uma remuneração adequada aos docentes. “Hoje todas as salas de aula são do século 19 e os alunos são do século 21. Por exemplo, as escolas precisam ter lousa digital. O aluno passa o dia inteiro mexendo no celular e quando vai na sala de aula vê a lousa tradicional e o giz. Aquilo não é atraente para ele. Agora, claro que não é fácil fazer essa mudança, não é só comprar a lousa digital, precisa convencer o professor a comprar essa ideia e para isso precisa investir em preparação e também remunerar adequadamente o professor”, pontuou o governador.

Imagem: Divulgação