EDP fortalece ações de combate à pobreza energética

Foto: Divulgação EDP
- PUBLICIDADE -
Corrida Folha Metropolitana

A EDP, distribuidora presente em 28 municípios do Estado de São Paulo, aproveita a celebração do Dia Mundial da Energia, em 29 de maio, para destacar um conjunto de ações desenvolvido com o objetivo de combater os efeitos da pobreza energética nas comunidades vulneráveis localizadas nas áreas de concessão da distribuidora. As ações são voltadas ao fortalecimento da cidadania, à educação socioambiental e ao acesso democrático a esse bem de consumo essencial.
 

A pobreza energética refere-se à ausência de acesso a esse serviço, por pessoas, grupos ou quando os indivíduos enfrentam dificuldades de ordem física, tecnológica e econômica no acesso à energia.
 

De acordo com dados do governo federal, 11 dos 50 municípios paulistas com o maior número absoluto de famílias inscritas no CadÚnico estão na área de concessão da EDP, com destaque para Guarulhos (2º lugar), São José dos Campos (4º lugar), Itaquaquecetuba (9º lugar) e Mogi das Cruzes (10º lugar).
 

Juntas, essas 11 cidades somam 702.765 cadastros com algum indicador de vulnerabilidade social, o que representa 11,2% do total de famílias nessa situação no Estado de São Paulo. Parte dessas famílias pode ser enquadrada dentro dos parâmetros da pobreza energética.
 

“Queremos promover uma transição justa de energia, sem deixar ninguém para trás. A EDP tem um compromisso com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, nesse caso em especial o de número 7 (Energia Limpa e Acessível). Para isso, buscamos iniciativas que levem a energia a comunidades isoladas ou que ajudem a população mais vulnerável a um consumo de forma sustentável. Também identificamos na educação um vetor de conscientização e transformação social”, destaca Dominic Schmal, diretor de Sustentabilidade da EDP.
 

Entre os exemplos de ações sociais desenvolvidas pela EDP, são destaque as melhorias técnicas promovidas no sistema de captação solar da comunidade da Ilha Escura, em São José dos Campos, e a primeira micro usina solar social, que atende às pessoas da Favela dos Sonhos, em Ferraz de Vasconcelos. Confira abaixo mais detalhes sobre essas e outras iniciativas:
 

Direito à energia na comunidade da Ilha Escura
 

Para garantir o acesso de energia a uma comunidade isolada, a EDP mantém, em São José dos Campos, um sistema de microgeração solar que recebeu, no ano passado, investimentos de R$ 1 milhão para a modernização dos equipamentos com uma tecnologia de monitoramento pioneira em todo o Brasil.
 

Microgeração solar na comunidade da Ilha Escura, em São José dos Campos

O sistema de placas solares garante o fornecimento de energia de qualidade às 15 famílias que compõem o núcleo da comunidade ribeirinha da Ilha Escura, congelado pela Prefeitura de São José dos Campos.
 ​   ‍
Apesar do nome, a localidade não é uma ilha e fica localizada às margens do rio Paraíba do Sul. Após um período de adaptação ao novo sistema, os moradores deverão receber em junho a visita dos Agentes da Boa Energia da EDP para orientações sobre consumo eficiente e cadastro na Tarifa Social de Energia.
 

Micro usina solar social
 

Recém anunciada, trata-se de uma usina solar social, instalada no município de Roseira. A energia produzida é injetada na rede de distribuição de energia da EDP e alivia a conta de luz de 200 famílias da Favela dos Sonhos, em Ferraz de Vasconcelos.
 

Micro usina social em Roseira


Inaugurada em 2023, a primeira usina solar social da EDP permite a geração de créditos que equivalem a um desconto médio mensal de R$ 35 para cada família. Esse desconto é acumulativo e pode se tornar ainda maior somado a outros benefícios, como a Tarifa Social.
 

Por exemplo, uma família com consumo mensal de 100 kWh/mês pagaria cerca de R$ 71 na conta de luz. Com a usina solar social, esse valor cai para R$ 37 e, se tiver também a Tarifa Social, a conta pode ser reduzida e chegar a R$ 22.
 

Tarifa Social de Energia Elétrica
 

A busca ativa de famílias para o cadastro da Tarifa Social de Energia é feita de forma recorrente pela EDP, por meio de parcerias com as prefeituras e pelas visitas das Vans da Boa Energia e dos Agentes da Boa Energia. São mais de 350 mil famílias que recebem regularmente o benefício em toda a área de concessão.
 

A Tarifa Social de Energia Elétrica é um programa destinado a famílias de baixa renda inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), que concede desconto de até 65% no consumo de energia. O objetivo da Tarifa Social de Energia Elétrica é garantir o benefício do desconto na conta de luz às famílias em situação de vulnerabilidade social.
 

Para se ter uma ideia, em março deste ano, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) registrou um consumo médio de 153,23 Kwh pelas cerca de 17 milhões de famílias cadastradas na Tarifa Social em todo o Brasil, com um desconto médio de R$ 31,15 na conta de energia.
 

Ações educativas
 

É importante que as pessoas entendam como podem reduzir o consumo e como fazer escolhas mais eficientes em termos de energia. Para isto, a EDP mantém programas como as Vans da Boa Energia e os Agentes da Boa Energia, com visitas regulares às comunidades para ações de conscientização. O programa Boa Energia nas Escolas também leva conceitos sobre eficiência energética para a sala de aula, capacitando professores e estimulando alunos.
 

EDP Energia Solidária
 

Em 2024, a EDP vai destinar até R$ 500 mil para o desenvolvimento de iniciativas que atendam às necessidades de comunidades vulneráveis em relação ao acesso à energia, à eficiência energética e ao combate da pobreza energética.
 

O edital está aberto e as inscrições terminam no dia 31 de maio. O regulamento completo e o cadastro dos projetos estão disponíveis por meio do site Link 

- PUBLICIDADE -