Ecopistas comemora 11 anos na administração da Ayrton Senna/Carvalho Pinto

Agora em junho, a concessionária Ecopistas completa 11 anos na administração das rodovias Ayrton Senna e Carvalho Pinto. Ao longo destes anos, mais de 1,7 bilhão de reais foi investido em obras e melhorias para dar mais conforto e segurança ao cerca de 70 milhões de usuários que circulam anualmente pelas quatro praças de pedágio. Nesse ano atípico, por conta da pandemia do novo coronavírus, a Ecopistas foi pioneira na implantação do pagamento por aproximação com cartões de crédito e débito pelo sistema NFC, que evita o contato entre o operador de cabine e o usuário. Além disso, a concessionária realizou diversas ações para ajudar quem não pode parar neste momento delicado, em especial os caminhoneiros. Para isso, foram distribuídas mais de 13 mil refeições gratuitas, 5 mil kits de higiene com álcool em gel, sabonete, luvas e máscaras e ainda a imunização de 616 motoristas transportadores com a vacina contra a gripe H1N1.

Desde que assumiu a concessão deste importante corredor, que liga a Grande São Paulo às regiões do Alto Tietê, Vale do Paraíba e Rio de Janeiro, a Ecopistas já realizou mais de 479 mil atendimentos mecânicos e 33 mil socorros médicos. A empresa comemora a redução de 24% na quantidade de acidentes e 26% de feridos entre 2010 e 2019. Não à toa, a rodovia foi escolhida como a terceira melhor do Brasil pela pesquisa CNT 2019 e é aprovada por 97% dos usuários em pesquisa de satisfação realizada pela Datacenso em 2018.

Durante esse período de concessão, a empresa também celebra o fato de ter realizado diversos projetos sociais tendo beneficiado mais de 37 mil pessoas moradoras das cidades do entorno do corredor. Na área ambiental, a Ecopistas realiza a compensação da emissão direta dos gases de efeito estufa e plantou mais de 120 mil mudas de árvores nativas como forma de realizar a compensação ambiental pelas obras realizadas. 

História da rodovia

A então rodovia dos Trabalhadores (SP-070) foi inaugurada em 1º de maio de 1982. O traçado inicial era de cerca de 50 quilômetros e cortava os munícipios de São Paulo, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes e Guararema. Posteriormente, a rodovia mudou de nome para homenagear o piloto de Fórmula 1, Ayrton Senna da Silva, que morreu em um trágico acidente em 1º de maio de 1994. No mesmo ano, foi inaugurada a rodovia Carvalho Pinto (SP-070), que seria a continuação da Ayrton Senna até a região do Vale do Paraíba, ligando Guararema a Taubaté.

Em 18 de junho de 2009, na segunda etapa do Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo, a Ecopistas passou a administrar o corredor Ayrton Senna/Carvalho Pinto. Hoje, o corredor é formado por 143,8 quilômetros de rodovias concedidas, 5 túneis, 15 pontes e 200 viadutos. A Ecopistas foi responsável pela construção do prolongamento da rodovia Carvalho Pinto com 10,7 quilômetros de novas pistas e pela implantação das 5ª e 6ª faixas da rodovia Ayrton Senna entre os quilômetros km 11 e 19.