Delivery: de moda a necessidade?

Serginho Freitas

Um serviço que chegou no Brasil tímido e visto por muitos como moda se transformou para algumas pessoas em necessidade por causa desta quarentena.

O delivery, sistema de entrega onde o cliente não precisa sair de casa, vem aos poucos resolvendo o problema de comerciantes, que viram seus salões de uma hora para a outra se esvaziarem, e de consumidores, que por medo, segurança e facilidade passaram a utilizar os serviços próprios de comércios e de grandes empresas especializadas.

“Cada dia mais bares gastronômicos, restaurantes e hamburguerias de Guarulhos passaram a trabalhar com sistemas de entregas. Esta modalidade de comércio vem ajudando as empresas, iguais a nossa, a sobreviver neste momento. Antes, aqui na Lancheteria, eu tinha no máximo 30 entregas por dia. Hoje, quando abro o nosso WhatsApp, já tem mais de 50 mensagens reservando nossos sandubas e hambúrgueres. De um motoboy fixo passei a ter oito”, explicou Lucas Bricker da Lancheteria Guarulhos, que fica na região central da cidade.

Outro ponto positivo é que através das vendas “online”, e destes sistemas de entregas, os comércios do segmento gastronômico conseguiram criar novas, e ótimas, opções de cardápio.

Um exemplo é o The Fire Steak & Burger (instagram.com/thefiresteakburguer), que fica na principal rua gastronômica da cidade, a rua Tapajós, que montou um cardápio para lá de especial para as plataformas digitais.

“Reabrimos o nosso espaço focando nas vendas online. No período que não trabalhamos, testamos as embalagens, tempo de entrega, tempo de produção e principalmente se nossos pratos chegariam na casa dos clientes da mesma forma que são entregues em nosso salão. Não foi fácil acertar todos os ponteiros, mas conseguimos deixar tudo perfeito. Agora tenho como enviar para as casas dos nossos clientes e amigos os pratos executivos com salmão, chorizo, fraldinha ou galeto com uma qualidade absurda, e os nossos burgers com preços promocionais”, contou Iran Gabriel, gerente da casa.

Já para a Arabian Pizzas e Esfihas, (instagram.com/arabian_foods), uma das melhores do segmento na minha opinião, o delivery sempre foi muito forte e nesta quarentena a única diferença que o proprietário, e mestre pizzaiolo, Agner Borges sentiu foi o receio que alguns clientes tiveram no começo da quarentena por falta de informação.

“Teve clientes que ficaram quase 15 dias sem nos procurar. Eles não pediam no delivery pois há o contato com o entregador. Mas depois que as informações chegaram, os pedidos normalizaram”, explicou Borges.

E para vocês? O delivery é moda ou necessidade?

Um abração e até semana que vem galera!