Cresce número de óbitos por câncer de colo do útero em Guarulhos

Lucy Tamborino

O número de mulheres que morrerem após diagnóstico de câncer de colo do útero aumentou 11% em Guarulhos, de 26 óbitos em 2017, no ano passado foram registrados 29. Ainda só neste ano, já foram registradas seis mortes. Este tipo de tumor maligno é um dos com maiores incidências entre as mulheres.

Um fator de risco para o surgimento do câncer de colo do útero é a infecção pelo vírus HPV (papilomavirus humano), que provoca uma lesão no colo do útero.

Para esse tipo de vírus existe uma vacina oferecida a faixa etária de nove a 14 anos no Sistema Único de Saúde (SUS), com duas doses, apesar disso a taxa de cobertura vacinal para o sexo feminino não ultrapassou 70% no período de 2014 a 2018. Nesse período, a primeira dose atingiu 67,5% e para segunda dose o percentual foi ainda menor, 51,8%.

Segundo a Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC – na sigla em inglês) e a Organização Mundial da Saúde a vacinação contra o HPV é segura, eficaz e primordial no controle do câncer do colo do útero.

Além disso, o vírus HPV faz parte das doenças sexualmente transmissíveis (DTSs) e por isso é essencial o acompanhamento da mulher com ginecologistas e exames como o Papanicolau.

Segundo especialistas, outros fatores podem influenciar ao desenvolvimento da doença como o número de filhos, tabagismo e uso de contraceptivos orais por um longo período. É essencial além da prevenção, que o câncer seja diagnosticado e tratado em seus estágios iniciais, já que a chance de cura nesse período é maior.

Imagem: Governo do Estado de São Paulo