Coreia do Norte critica sanções, mas se diz aberta a diálogo com EUA

O governo norte-coreano está disposto a dialogar diretamente com os Estados Unidos, apesar das recentes sanções impostas por Washington contra Pyongyang.

A revelação foi divulgada ontem pela Coreia do Sul, logo após um encontro entre o presidente Moon Jae-in e diplomatas da Coreia do Norte, que estavam no país para acompanhar a cerimônia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Inverno, em PyeongChang.

Segundo o comunicado emitido pela Casa Azul (a Presidência sul-coreana), a ditadura de Kim Jong-un “tem ampla intenção de conversar com os Estados Unidos”.

A nota também afirma que a delegação norte-coreana concordou que a evolução na relação entre o país e Seul deve ser acompanhada de avanços também na relação entre Pyongyang e Washington.

A delegação da Coreia do Norte foi liderada pelo general Kim Yong-chol, que faz parte do Comitê Central do Partido dos Trabalhadores, o que faz dele é a mais importante autoridade a expressar a disposição do país em negociar com os americanos.

As declarações são o mais recente sinal de uma mudança na diplomacia norte-coreana, que desde o início do ano vem ensaiando uma reaproximação com seus vizinhos do sul, tendo como pano de fundo a Olimpíada de Inverno.

Foto: Hyoja/Dong Studio