Conselho Municipal da Saúde entrega denúncia ao Ministério Público

Rômulo Magalhães

Representantes do Conselho Municipal protocolaram ontem no Ministério Público, documento com denúncias na área de saúde de Guarulhos. Com 13 páginas, a peça jurídica relata problemas como falta de medicamentos das Unidades Básicas de Saúdes (UBS), além de insumos básicos para atendimento como agulhas, seringas e soro fisiológico.

O documento encaminhado ao MP notifica a gestão municipal e exige o cumprimento da lei, que é o fornecimento de medicamentos essenciais contidos na Remune (Relação Municipal de Medicamentos Essenciais).

Presidente do Conselho Municipal de Saúde, Rogério de Oliveira, afirmou que denúncia era necessária, pois as condições desta área em Guarulhos estão precárias. “Não há abastecimento de medicação, não há médicos, além de problemas de terceirização irregular no HMU”, disse e ainda destacou que o ponto mais crítico desta área é a falta de remédios. “Hoje há 80% da falta de medicamento, quando a pessoa chega para retirar”, comentou.

Antes do protocolo, houve manifestação na praça Getúlio Vargas. Cerca de 500 pessoas, segundo o conselho, participaram do ato. Depois, os manifestantes foram andando até o MP. “Queremos intervenção na saúde pública de Guarulhos. Queremos uma saúde digna de qualidade, porque é assim que rege a lei do SUS”, disse Pedro Gomes, ex-conselheiro municipal da saúde e usuário do SUS.

Também participaram do ato movimentos sociais e membros da Igreja Católica. Questionada sobre o caso, a Prefeitura de Guarulhos não teve tempo hábil para responder a demanda e se prontificou encaminhar a resposta hoje.

Foto: Rômulo Magalhães