“Condição de trabalho é zero”, diz secretário sobre GCM no Bosque Maia

Por Rômulo Magalhães

O secretário municipal de Segurança Pública, Gilvan Passos, declarou que as condições de trabalho dos Guardas Civis Municipais (GCM) que atuam na inspetoria do Bosque Maia “é zero”. O comentário foi concedido ontem, durante evento que deu início a Operação Carnaval 2018 em Guarulhos.

A Folha Metropolitana visitou a inspetoria da GCM no parque e constatou o problema. Infiltrações e vazamentos, assentos velhos e quebrados, móveis sem condições de uso, além de iluminação precária.

A reportagem teve acesso ao documento que os guardas elaboraram para denunciar a situação constrangedora. Com seis páginas, eles detalham a circunstância precária do local onde exercem suas funções.

Passos afirmou que está atento a situação e ainda não foi resolvida porque a Associação Amigos do Patrimônio e Arquivo Histórico (AAPAH) impede a construção de uma nova inspetoria, porque o Bosque Maia é um patrimônio tombado da cidade.

O tombamento é um ato administrativo realizado pelo poder público com o objetivo de preservar bens de valor histórico, cultural, arquitetônico e ambiental para a população, impedindo que venham a ser destruídos ou descaracterizados. “Se a associação falar que não pode, nós vamos tirar a inspetoria daqui. Teremos viaturas e guardas para trabalharem no Bosque, mas não ficaremos mais na inspetoria”, disse o secretário.

Construção de nova inspetoria será feita pela iniciativa privada

De acordo com Gilvan Passos, já existe uma empresa privada responsável pela construção de nova inspetoria. “O secretário de Meio Ambiente vai explicar para a associação qual é o projeto da construção de uma inspetoria decente para que os guardas possam trabalhar. Se nós tivéssemos a autorização para construir, começaria amanhã, mas nós não temos”, disse.

Foto: Rômulo Magalhães