Como evitar doenças cardiovasculares cuidando da saúde bucal

Da Redação

A boca é uma das partes do corpo que mais acumula bactérias, sendo propensa a doenças infecto-inflamatórias, mais conhecidas como periodontais. Tal problema agride os tecidos de suporte (gengiva) e sustentação dos dentes, podendo evoluir para problemas cardiovasculares se não tratados corretamente.

De acordo com a Doutora Iessa Vieira, especialista em dentística e ortodontia, a presença de bactérias na corrente sanguínea pode atingir as válvulas cardíacas e danificá-las, tendo como resultado a endocardite bacteriana, uma das doenças mais comuns causadas pelas inflamações periodontais. “A doença periodontal pode se tornar um problema cardiovascular quando está em estágio avançado, pois já foi comprovado que esses  pacientes possuem bactérias orais na corrente sanguínea, permitindo um acúmulo delas na parede do coração”, afirma Dra Iessa. 

Segundo um estudo divulgado pelo Ministério da Saúde, até os 12 anos de idade, 37% da população brasileira é acometida por algum tipo de doença periodontal. Entre 15 e 19 anos, este número atinge a casa dos 49,1%, vai para 82% entre 35 e 44 anos e chega à marca de 98,2% entre 65 e 74 anos.

Confira dicas da Dra Iessa para manter a saúde bucal em dia:

Escovação: “pratique uma escovação suave, com 2 minutos de duração”.

Fio dental: o fio dental, após as refeições, deve entrar um pouquinho na gengiva para que não fique restos de alimento que poderão se transformar em tártaro.

Limpeza profissional: a cada 6 meses o paciente deve voltar ao  dentista para fazer a limpeza profissional, dessa forma, mantemos a gengiva saudável e evitamos doenças periodontais.

Higienização suave: escovar os dentes e passar o fio dental de uma maneira rigorosa pode abrir feridas na gengiva. Por isso, todos os procedimentos de limpeza devem ser feitos cautelosamente. 

Sintomas e tratamentos das doenças periodontais:

Sintomas:

Os principais sintomas são sangramento ao escovar e passar o fio dental , edemas e retrações gengivais, migração dental e mobilidade também são indicativos que possa ter uma doença periodontal instalada.

Tratamento:

“Existem vários  níveis da doença periodontal e variedades de tratamento , desde raspagens subgengivais, cirurgias ,antibióticos e às vezes até mesmo a extração dental se torna necessária”.

Sobre a Dra Iessa Vieira:

Profissional formada em Odontologia em Unifenas (Alfenas/MG) com especialização em Dentística (USP) e Ortodontia (FUNORTE). Está há mais de 10 anos no mercado, com a clínica “Iessa Vieira Odontologia”, localizada em Santo André/SP.