Com Tatto, PT tem pior votação da história na disputa pela prefeitura da capital e perde em importantes cidades da Grande SP

O Partido dos Trabalhadores (PT) voltou 20 anos no tempo. Nunca antes na história, a legenda se saiu tão mal na disputa pela Prefeitura de São Paulo. O candidato pelo partido, Jilmar Tatto, teve apenas 8,65% dos votos válidos na eleição deste domingo (15), conquistando a 6ª colocação no pleito da capital com 461.666 votos no primeiro turno. É o pior desempenho do partido desde 1988. Até então, a pior marca tinha sido de 16,7% de Fernando Haddad em 2016 – quando houve o impeachment de Dilma Rousseff e a Operação Lava Jato.

A única vez em que o PT não tinha ficado em uma das duas primeiras posições em São Paulo foi em sua primeira disputa, em 1985, logo que as eleições municipais nas capitais voltaram a ser permitidas pela ditadura. Dali em diante, a legenda sempre havia sido uma das duas maiores forças políticas de São Paulo.

Em todo o país, o partido está em 15 disputas no segundo turno, partido com maior número de participações nesta etapa. Entre elas, duas capitais, Vitória (ES) e Recife (PE). A legenda também tem o candidato a vice em Belém (PA) e Porto Alegre (RS).

Dos 174 prefeitos eleitos 20 anos atrás, o PT aumentou seu tamanho para 400 prefeituras em 2004. Em 2008, saltou para 557 municípios. Em 2012, estendeu seu poder para 644 prefeituras. Agora o número de prefeituras caiu, para 178 eleitas no primeiro turno, patamar mais baixo desde 2000. Mesmo se vencer mais 15 no segundo turno, não chegará às duas centenas.

A derrota no ABC

O primeiro turno das eleições na região do ABC paulista confirmou o domínio político do PSDB em Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul e a derrota do PT em um importante reduto eleitoral.

Foram reeleitos os prefeitos Orlando Morando (São Bernardo) e Paulo Serra (Santo André). Em São Caetano, onde há menos de 200 mil eleitores e por isso não existe segundo turno, o prefeito tucano José Auricchio Júnior foi o mais votado, mas sua reeleição depende de ele conseguir reverter uma decisão da Justiça Eleitoral que indeferiu sua candidatura.

Em São Bernardo, Morando foi reeleito com 67,28% dos votos – foram 261.761 votos – derrotando o petista Luiz Marinho que ficou em segundo lugar com 23,34% (90.803 votos).

Já em Santo André, o PT teve uma derrota esmagadora. Paulo Serra (PSDB) foi reeleito com 76,88% dos votos (266.591). Ele venceu a petista Professora Bete Siraque, que ficou em 2º lugar com apenas 7,35% (25.493 votos).

Na região, a pior votação para o partido ficou em São Caetano. Ao final da apuração, o tucano Auricchio recebeu 42.842 votos, 45,28% dos votos válidos. Fábio Palácio (PSD) recebeu 30.404 votos, 32,13% dos votos válidos. João Moraes, o candidato do PT, amargou a sexta colocação com apenas 3,30% dos votos – o equivalente a 1.709 votos.

Partido luta num segundo turno em Guarulhos, Mauá e Diadema

Na Região Metropolitana de São Paulo, o partido ainda está na disputa em apenas três cidades. Em Guarulhos, onde Elói Pietá enfrenta o prefeito Guti (PSD). O atual prefeito teve 45,65% dos votos (261.211) contra 32,24% (184.502) do candidato petista.

Em Mauá Marcelo Oliveira (PT) enfrenta Átila Jacomussi (PSB). Átila teve 70.490 votos (36,48% dos votos), ante 38.330 de Oliveira – o que representa 19,84% dos votos.

José di Filippi (PT) e Taka Yamauchi (PSD) vão decidir em 2º turno quem será o próximo prefeito de Diadema. Segundo dados do TSE, Filippi teve 92.670 votos (45,65% dos votos), ante 31.301 de Yamauchi – o que representa 15,42% dos votos.

Desempenho do PT em 1°turno na capital

2020 – Jilmar Tatto
Total de votos: 8,65%
Votos válidos: 460.525

2016 – Fernando Haddad
Total de votos: 16,70%
Votos válidos: 967.190

2012 – Fernando Haddad
Total de votos: 28,98%
Votos válidos: 1.776.317

2008 – Marta Suplicy
Total de votos: 32,79%
Votos válidos: 2.088.329

2004 – Marta Suplicy
Total de votos: 35,82%
Votos válidos: 2.209.264

2000 – Marta Suplicy
Total de votos: 38,13%
Votos válidos: 2.105.013

1996 – Luiza Erundina
Total de votos: 22,83%
Votos válidos: 1.291.120

1992 – Eduardo Suplicy
Total de votos: 30,68%
Votos válidos: 1.279.231

1988 – Luiza Erundina (eleita no 1° turno)
Total de votos: 36,78%
Votos válidos: 1.534.592

Imagem: Willian Moreira/AE