Com mais de uma semana de greve, cidade vive dia de caos

Por Pedro Lacerda

Filas extensas em postos de combustíveis, supermercados com falta de produtos, frotas de ônibus reduzidas, assim foi a manhã do guarulhense após uma semana da greve dos caminhoneiros.

“Estou na fila aqui no posto de gasolina há mais ou menos duas horas. Sabemos que a situação atual do país beira ao desespero, por isso estou esperando aqui, já estou desde quinta-feira passada sem gasolina”, disse o motociclista Josimário Barbosa, 28, aguardando num posto de combustível na região central.

O local concentrou uma grande quantidade de motoristas que, sem previsão do término da greve, estão desesperados para abastecerem os veículos.

Já os motoristas que ainda conseguiram circular pela cidade ontem enfrentaram outros problemas. As rodovias Presidente Dutra e Fernão Dias foram alvos de manifestações ao longo do dia, gerando grandes congestionamentos.

Outros atos isolados, marcados por redes sociais, também provocaram transtornos para quem decidiu sair de carro. No início da noite a avenida Paulo Faccini e a via Dutra foram alvos de manifestações.

Já os estudantes do campus de Guarulhos da Unifesp seguem sem aulas. A direção da instituição segue avaliando a situação a cada dia.

Foto: Pedro Lacerda