Com altos números de dengue, Guarulhos antecipa ações de combate ao Aedes aegypti

Mayara Nascimento

Após registrar 6.400 casos de dengue neste ano, a prefeitura antecipou ações para o combate ao mosquito transmissor. No Estado de São Paulo, as ocorrências já ultrapassam 390 mil casos. Em 2017 apenas 391 pessoas contraíram dengue na cidade. Já em 2018, os números apontam 90 casos. A grande diferença entre os anos anteriores e este ano, assusta a população.

Visando preparar a cidade para o verão 2019/2020 e reduzir o número de casos no ano que vem, a Secretaria de Saúde capacitou 145 vice-diretores das escolas da rede municipal de ensino na semana passada, para ajudarem no combate ao Aedes aegypti.

Os profissionais do Departamento de Vigilância em Saúde ministraram uma capacitação sobre o tema no GRU Airport – Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, para funcionários de empresas prestadoras de serviço, bem como para trabalhadores da administradora aeroportuária, companhias aéreas e servidores públicos.

Semana Estadual de Mobilização

Até o dia 30 acontecerá a Semana Estadual de Mobilização para reduzir a infestação do mosquito e prevenir doenças. Ontem a Escola Municipal Cora Coralina recebeu um agente comunitário de saúde vestido de mosquito transmissor da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela. A encenação teatral dos profissionais da Unidade Básica de Saúde Cabuçu, que animou as crianças ao mesmo tempo em que ensinou como combater o vetor.

A proposta da Semana Estadual de Mobilização é intensificar as ações nas escolas estaduais, municipais e particulares de São Paulo com dois objetivos: verificação das condições do ambiente escolar para evitar a proliferação do mosquito no período de recesso escolar e orientação a alunos e pais sobre as medidas preventivas contra a dengue e demais arboviroses.

Na sequência, entre os dias 2 e 7 de dezembro, deverão ser ampliadas as ações de controle vetorial, por meio da priorização de áreas com maior infestação de larvas e eliminação de recipientes que possam ser importantes na reprodução do mosquito. Por isso, várias ações estão programadas para acontecer na cidade nesse período, tais como orientações em escolas, caminhadas com distribuição de informativos, panfletagem em feiras livres, palestras e exibição de vídeos educativos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Imagem: Divulgação/PMG