Coluna Livre com Hermano Henning

Costumo frequentar o Shopping Maia uma vez a cada três semanas pra visitar meu amigo João Franco. Ele atende seus clientes todas as quartas na filial de seu salão de cabelereiro. Nos demais dias ele trabalha nas instalações da Paulo Faccini onde fui pela primeira vez levado pela minha amiga Malvina Russo, apresentadora de TV. Descobri depois que no shopping a gente sempre fica mais tranquilo, dá mais tempo pra conversar. O movimento na Paulo Faccini é pesado.

Conheço todos os shoppings de Guarulhos. Inclusive o de Bonsucesso, de muito movimento. O shopping Maia tem outro estilo. É mais chique, dizem. Só que perde de longe em movimento (e investimento) para aquele ali na divisa de Bonsucesso com o bairro dos Pimentas.

No Shopping Maia tudo é moderno. Fica num imenso prédio de arquitetura apurada, amplo estacionamento, belos banheiros, praça de alimentação, cinemas, boas lojas (algumas de grife). Nada a reclamar. Só que… tem corredores vazios e, é fácil observar, o salão do meu amigo João Franco é um dos lugares mais frequentados.

Porque o Shopping Maia não decola? Sua inauguração já tem alguns anos. Trata-se de um investimento milionário que até agora não disse a que veio. Pelo menos aparentemente pois o professor Veronezi, empreendedor bem-sucedido, não costuma errar. Dizem que outro investimento dele, o Shopping Internacional, passou pelo mesmo processo. Demorou a “pegar” mas hoje é um tremendo sucesso. Espero que o Shopping Maia siga o exemplo.

Compromisso

Já eleito, antes da posse, o atual presidente da Câmara de Vereadores, Professor Jesus, teve uma longa conversa com seu antecessor, o vereador Eduardo Soltur. Uma conversa, bastante respeitosa, onde foram colocados os planos para os dois anos da nova presidência. Anos importantes porque terminam com a eleição municipal que vai escolher o novo prefeito e renovar o legislativo.

Na conversa a expressão “compromisso” foi usada pelo novo presidente para justificar a escolha de membro importante da nova equipe de secretários. Sem problema, pois esse comportamento é visto como absolutamente normal na política. A Câmara de Vereadores de Guarulhos é uma Casa política. E secretário é cargo político. Não há nenhuma informação ou indicação do uso de métodos condenáveis no atendimento dos vereadores para conseguir os votos na eleição da Câmara. São os chamados compromissos políticos. E eles, posso garantir, aconteceram.