Coluna Livre com Hermano Henning

O Ministério Público do Estado de São Paulo, em Guarulhos, está preocupado com a decisão de nossos vereadores, capitaneados pelo presidente da Câmara, Professor Jesus, em aprovar uma lei criando mais 75 cargos na estrutura administrativa da Casa. Numa carta dirigida ao prefeito e ao presidente da Câmara, o promotor pergunta se existe “interesse público” na medida. Não sei se o prefeito Guti respondeu, mas imagino que sim, e de forma negativa, pois o projeto de lei foi vetado por ele.

O Professor Jesus, por certo, deve ter respondido que sim, há interesse público na nova lei de reestruturação do funcionalismo na Câmara, tanto que o projeto teve o veto do prefeito rejeitado e, em seguida, sancionado por ele diante do apoio recebido da maioria de seus pares. Houve apenas dois vereadores favoráveis ao veto do prefeito. Por sinal, dois do PT.

75 cargos

Não sei dos argumentos de Jesus, mas tenho por mim que não convencem. Entre os 75 cargos criados, efetivos e comissionados, estão quatro diretorias e uma nova secretaria. Os salários são de provocar inveja a qualquer trabalhador exercendo a mesma função na iniciativa privada. Mesmo se comparados às funções semelhantes no próprio serviço público.

É só dar uma olhada no organograma da Prefeitura. Um jornalista, na Câmara, ganha três vezes mais. Por sinal, como já disse aqui, a nova lei do professor Jesus cria mais um cargo pra jornalista, o de diretor. A nova lei, além da criação deste cargo estabelece níveis que dão aumentos salariais automáticos.

Numa entrevista no programa Espalha Fatos da TV Guarulhos, antes da aprovação na Câmara e da recusa do veto do prefeito, o jornalista Mauricio Siqueira chamou essa história de “Trem da Alegria”. Os vereadores que derrubaram o veto do prefeito não se importaram. Guti fez o papel dele.

E quem parece ter se importado mesmo foi o promotor, encarregado de defender a sociedade, que se pergunta: “Há interesse público?”

PSL está com Fran

O PSL, do presidente Jair Bolsonaro, tem uma bancada diminuta na Câmara de Guarulhos, dois vereadores. Mas segundo o presidente do diretório municipal, o jovem Mario Nascimento, a agremiação vai eleger a maior bancada do Legislativo no ano que vem. E confirma: “Vamos estar juntos com a Fran”. Mario explica que foi o senador Major Olímpio quem indicou o caminho: “Ele pediu a ela para cuidar de nosso partido aqui em Guarulhos”.

Difícil vai ser eleger uma grande bancada sem o candidato próprio à Prefeitura para puxar os votos.