Coluna Livre com Hermano Henning

Mesmo antes de assumir a Secretaria Especial de Cultura, a atriz Regina Duarte já recebia nas costas as pauladas dos petistas e militantes dos partidos periféricos. Um deles, também ator conhecido por José de Abreu, não se constrangeu em chamá-la de “fascista” e “gente assim a gente trata no cuspe”. Lembram?

É só para uma pequena lembrança, mas quero ir um pouco além, já que estamos praticamente às vésperas do dia internacional da mulher a ser comemorado neste domingo.

Disse o ator e militante Zé de Abreu: “Fascista não tem sexo, vagina não transforma a mulher em ser humano”. Houve muita reação, mas teve também gente que vibrou com a apreciação.

Agora, depois da posse em cerimonia no Palácio do Planalto, o peso das críticas – repito: ela não começou a trabalhar ainda – se acentuou. No noticiário do dia, os vazamentos começaram mostrando o fogo amigo: na Folha, a colunista Monica Bergamo numa nota abaixo do título “Nitroglicerina Pura” escreveu que a atriz é considerada uma “bomba prestes a explodir”.

A jornalista atribui essa visão aos parceiros do próprio presidente Bolsonaro onde Regina circularia com dificuldade pois estaria disposta a contratar gente, digamos, não tão comprometida com o quadro ideológico do entorno do poder para assessora-la no órgão que, por sinal, é visto como um verdadeiro ministério no time do primeiro escalão da República. Tanto que ela já se acostumou a ser tratada de “ministra”.

A crer na colunista da Folha, Regina Duarte, é tida como “desligada em relação a compromissos políticos que são caros ao presidente”. E uma crise, já é anunciada como algo eminente, segundo a Folha de S. Paulo. Informação colhida no dia da posse!

O jornal impresso destacou uma imensa foto de capa de caderno dando nítida impressão de um gesto de continência dado pela atriz quando, na verdade, ela enxugava, com as mãos, o suor da testa. Regina, de fato, fizera a continência depois do ato de posse dirigindo-se ao presidente mas não com aquele rosto compenetrado e sério da foto da Folha. A deferência à Bolsonaro pareceu mais uma brincadeira.

Posso assegurar: Regina Duarte é uma pessoa simpática, educada e profundamente doce. O povo também a vê assim e assim ela é. A foto da Folha, feita de frente, ela muito séria com a mão na testa, reforça a pecha de “militarista”, “fascista”. Ou não? Estarei vendo coisas?

Pode ser. Mas não vi até agora nenhum dos ministros receber tantas pancadas como nossa Viúva Porcina. Nem Sergio Moro quando assumiu a Justiça. E olha que foi ele quem colocou Lula atrás das grades.

- PUBLICIDADE -