Centro Geográfico… Tem o maior Aeroporto do Brasil e da América do Sul

O Centro Geográfico são os bairros Aeroporto, Taboão, Invernada, Bananal, São João, Lavras, Jardim Presidente Dutra, Vila Barros e CECAP. A divisão geográfica apresentada foi convencionada, a partir dos pontos cardeais (Norte, Sul, Leste e Oeste). Rasa dos Ventos sobreposta, ao mapa dos bairros da cidade de Guarulhos, todos com interface direta, com o Sitio Aeroportuário. Exceto Nova Cumbica, região contínua a porção Sul de Guarulhos. A formação socioeconômica e cultural do Centro Geográfico tem tudo muito a ver, com a corrente de ventos alísios sul, também, com a existência da planície da cidade. Voar, demanda ter asas e ventos, bem como um campo plano, para decolagens e pousos. Requisitos únicos na Grande São Paulo, que se acha em Cumbica.

 No Centro Geográfico acontece a experiência aviatória, mais completa do território brasileiro. O primeiro equipamento foi o Campo de Aviação de Cumbica (1932), grafado no primeiro mapa da cidade. Posteriormente veio o Clube Paulista de Planadores, inaugurado o “Hangar”, em 1934. Lugar equipado, para manutenção e guarda dos aviões, uma pista de pouso gramada, restaurante e alojamento para pernoite. Em 1939 são suspensas (devido a Segunda Guerra Mundial), as atividades do Clube Planadores. Em 1940, um empresário carioca, “Família Guinle” doou 16 km² (pequena parte da Fazenda Cumbica) para a implantação da Base Aérea. Pelo visto, a doação fazia parte de um plano negociado, pelo advogado da família “Guinle”, Samuel Ribeiro, com o governo Getúlio Vargas. Entre as medidas, antes de iniciar a construção da Base Aérea teve a extensão do ramal do trem, Estação Guarulhos a Cumbica. Então, empresa estatal: Estrada de Ferro Sorocaba (EFS).

Dia 26 de janeiro de 1945 foi inaugurada a Base Aérea. A partir de então, a história de Guarulhos ganha contornos territoriais e aéreos diferenciados. Transferida do Campo de Marte para a várzea do Rio Baquirivu Guaçu, Guarulhos passou a sediar uma das unidades militares dos três pilares da política nacional de segurança: Força aérea, exército e marinha. Após a inauguração da Base Aérea, a “Família Guinle” implantou o loteamento Industrial Cidade Industrial Satélite de Cumbica (primeiro loteamento industrial do Estado de São Paulo e brasileiro). Jornais da época trazem propagandas do tipo; “O Maior Sucesso Imobiliário de São Paulo: Nunca se Projetou no Brasil, Obra Tão Grandiosa”!  O polo industrial-Cumbica facilitou, entre ouras aspectos, a industrialização guarulhense.         

Dia 20 de janeiro de 1985, foi inaugurado o Aeroporto Internacional de São Paulo-Cumbica, situado ao lado da Base Aérea de Cumbica reunindo aviação civil e militar, sendo o maior aeroporto do Brasil, da América do Sul e o segundo da América Latina, especializado no transporte de passageiros e carga. No ano 2000 teve o nome alterado para Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos – Governador André Franco Montoro.                                                                                                            

Entre tantos aspectos instigantes do Centro Geográfico se acha, o maior conjunto arquitetônico  neocolonial, moderna e contemporânea de Guarulhos. De acordo com arquitetos especializados, a Base Aérea é o maior conjunto arquitetônico neocolonial. A arquitetura modernista tem um dos mais significativos cartões postais: o Parque Cecap. Por sua vez a arquitetura contemporânea possui belos exemplares: Aeroporto, Hospital Geral, Rodoviário, Estações do Trem, Escola Técnica Estadual (Etec) e o Serviço Social do Comércio (Sesc). Em 2022, prometemos revelar muitos detalhes do Centro Geográfico de Guarulhos.  

- PUBLICIDADE -