CEI aponta que mais de R$ 132 milhões de impostos não foram cobrados por gestões anteriores

Lucy Tamborino

A Comissão Especial de Inquérito (CEI) instaurada na Câmara para investigar os maiores devedores de Guarulhos apontou ontem que mais de R$ 132,7 milhões supostamente não teriam sido cobrados de sete contribuintes da cidade. As dívidas seriam heranças de gestões anteriores e devem ser ainda investigadas pelo grupo de parlamentares.

“Havia uma dívida destas empresas e elas tiveram a falência decretada e a prefeitura na época não habilitou o seu crédito tributário. Na minha visão um ato claro de improbidade administrativa. Cabe a nossa comissão investigar a fundo”, afirmou o vereador líder do governo, Eduardo Carneiro.

Na lista estão Daniel de Jesus Bispo de Oliveira com R$ 34,9 milhões; Companhia Construtora Radial com R$ 29,4 milhões; Armando Augusto Camelo e S/MR com R$ 23,2 milhões; Iderol S/A Equipamentos Rodoviários com R$ 15,7 milhões; Hatsuta Industrial S.A que deve R$ 13,3 milhões; Imobiliária Continental LTDA com R$ 8,5 milhões; e Sebastião Bispo da Silva e Fausto André dos Santos com R$ 7,3 milhões.

A investigação é baseada nos 100 maiores devedores da prefeitura e o débito total dos maus pagadores alcança o montante de R$ 2,1 bilhões. “Devido à natureza do assunto serão convidados técnicos da Secretaria da Justiça”, afirmou o vereador João Dárcio (Podemos), que preside a comissão. O parlamentar ainda destacou que a concessionária que administra o GRU Airport – Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, atualmente deve para o município, bem com o Infraero. A reunião de ontem contou com Oscar Otavio Bonilha Neto, diretor do Departamento do Tesouro.

Imagem: Lucy Tamborino