CCR NovaDutra intensifica campanha de orientação sobre a presença de romarias a pé na via Dutra

Da Redação

Há menos de uma semana para o feriado de Nossa Senhora Aparecida (12 de outubro), já é grande o número de romeiros caminhando a pé pelo acostamento da via Dutra. Apenas no último fim de semana foram contabilizados 3.190 peregrinos andando em direção à Basílica de Aparecida, no Vale do Paraíba. A contagem dos romeiros é realizada pela equipe operacional da CCR NovaDutra durante a passagem pelas cidades de Pindamonhangaba (SP), no km 87, e Itatiaia (RJ), no km 318. Em 2018, mais de 20 mil romeiros passaram pela rodovia com destino à Aparecida, entre a segunda quinzena de setembro até a segunda quinzena de novembro, período de maior movimento de romarias a pé.

Preocupada com aumento de romeiros dividindo espaço com carros e caminhões na rodovia, a NovaDutra intensifica sua campanha de orientação a peregrinos e motoristas que trafegam pela via em direção a Aparecida. A campanha, realizada todos os anos a partir da segunda quinzena de setembro, tem foco nas orientações de segurança aos grupos de romeiros e usuários da rodovia, além de reforçar sobre os riscos de romarias a pé pelo acostamento. A campanha também orienta sobre a utilização de um caminho mais seguro para esta manifestação de fé: a Rota da Luz SP.

Nesta semana, serão realizadas novas ações pela concessionária, como a instalação de faixas indicando os acessos à Rota da Luz aos romeiros que ainda insistem em caminhar pela via Dutra. Também serão distribuídos folhetos aos motoristas alertando sobre a presença de romeiros caminhando pelo acostamento. A NovaDutra não recomenda este tipo de manifestação de fé, em função do risco que representa para os peregrinos que utilizam o acostamento para caminhar.

Além dessas ações, os painéis de mensagens variáveis da rodovia alertam os motoristas sobre romeiros pelo acostamento. A campanha ganha reforço também na programação da CCRFM 107,5, com plantões ao vivo, dicas de segurança e informação dos trechos da rodovia com peregrinos a pé. Todos os colaboradores da Concessionária estão treinados para abordar os grupos de romeiros que estão caminhando, principalmente no mesmo sentido do tráfego, e orientar sobre a forma mais segura de realizar sua peregrinação. É entregue material com dicas de segurança para esses grupos de pessoas que insistem em caminhar pelo acostamento da rodovia.

Mortes

E o risco de caminhar a pé pelo acostamento pode ser visto nos números. Dados da concessionária CCR Nova Dutra mostram que, no ano passado, entre os meses de janeiro e dezembro foram contabilizados 13 atropelamentos, um aumento de 200% no número de atropelamentos em comparação com o mesmo período de 2017. Somente no período da campanha de orientação que ocorre entre setembro e novembro 10 pessoas foram atropeladas em 2018. Em 2019, a Concessionária registrou três mortes de romeiros. Em dois casos os romeiros estavam caminhando pelo acostamento quando foram atropelados. Um terceiro foi atropelado enquanto caminhava pela faixa de desaceleração da rodovia.

“O romeiro acredita que a o acostamento é um local seguro para realizar sua peregrinação, mas esquecem que o acostamento é um local para paradas de emergências de veículos e o risco de um atropelamento é grande. Sem contar que a Dutra tem mais de mil acessos, entradas e saídas de cidades e postos de serviços, as travessias de trevos e acessos, aumenta o risco de atropelamentos. Não temos como proibir a manifestação de fé na rodovia, mas há uma necessidade urgente da sociedade entender os riscos de caminhar pelo acostamento da via Dutra”, explica o gestor de Atendimento da CCR NovaDutra, Virgílio Leocádio.

Imagem: Mayara Nascimento